O lixão das vuvuzelas

Já que ninguém se sensibiliza mesmo com a tragédia da poluição sonora que se avizinha à narração de Galvão Bueno, resta aos incomodados mudar a tática de conscientização do problema.

Tutty Vasques, O Estado de S.Paulo

28 de maio de 2010 | 00h00

Os ambientalistas - ô, raça! - ainda não se deram conta de um outro aspecto desastroso oculto pela barulheira em questão: imagina quantas centenas de milhares de anos

serão necessários para a natureza degradar no meio ambiente as milhões de vuvuzelas adquiridas em camelôs dos quatro cantos do mundo para a Copa da África do Sul.

Se, num cálculo pra lá de otimista, 70% dos torcedores do planeta jogarem suas cornetas de matéria plástica colorida no lixo logo após o Mundial, em fins de julho as vuvuzelas já serão incômodo ecológico tão grave quanto as garrafas PET, os sacos plásticos de supermercado e o pum da vaca.

Ou se faz alguma coisa agora mesmo pela criminalização do negócio ou logo o ser humano estará discutindo a criação de cooperativas de catadores de vuvuzelas para reciclagem.

Pode parecer exagero, mas espera só começar a Copa do Mundo para sentir o drama nos ouvidos. Depois não diga que não avisei!

Arrivederci Chatuba

Agora é oficial: só falta a diretoria da Roma acertar detalhes do esquema do resgate de Adriano no "Bota-fora do Imperador", convocado para este fim de semana na favela da Chatuba. Tomara que aquela loura não chegue antes para pegá-lo no tapa!

Fenômeno

O vereador paulistano Gabriel Chalita escreve mais de 30 mensagens por dia no Twitter. Incrível como ainda arruma tempo para redigir aquelas cartas lindas para o padre Fábio Melo, né?

Mal embalado

Tudo bem que o truque do cabeleireiro não se preste à imagem de José Serra, mas quem é o figurinista do pré-candidato tucano? Ninguém mais da geração do ex-governador usa calça de tergal com camisa Volta ao Mundo.

Eu, hein!

Esclarecido da noite pro dia pela polícia da Bahia, o assassinato daquele delegado abatido a tiros durante entrevista de rádio sepulta em definitivo o mito da falta de pressa dos conterrâneos de Dorival Caymmi. Tomara que seja só isso!

Irritando Hillary Clinton

Bateu saudades de Condoleezza Rice no chamado eixo do mal. "Tem coisa mais irritante que a Hillary Clinton irritada?!" - comenta-se na ponte aérea Teerã-Pyongyang.

Seguro morreu de velho

Claro que dá para entender que dinheiro não cai do céu para dar aos aposentados, mas de onde vem a fortuna para comprar aviões de caça e submarinos nucleares?

Tem tempo ainda

Termina na terça-feira o prazo para recall de volantes na seleção. Quem sabe, até segunda, alguém pega catapora ou dá uma topada no pé da cama, sei lá, pode acontecer, né não?!

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.