O jeito é ir à capela e rezar

Ecumenismo. Missas são anunciadas pelo sistema de som

Nataly Costa, O Estado de S.Paulo

22 Dezembro 2010 | 00h00

O caos aéreo nem começou e outro lugar no Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, já anda bem movimentado: a capela ecumênica entre os Terminais 1 e 2. Com um pequeno altar e menos de 50 banquinhos, o lugar se tornou opção para quem não aguenta mais zanzar pelos saguões. "É um jeito útil de passar o tempo. Viajo quase toda semana e, sempre que atrasa, passo aqui para fazer uma oração", diz a publicitária Deise Guedes, de 34 anos, que se juntou a mais 15 pessoas que rezavam acompanhadas pelas malinhas de mão.

Deise tinha pouco mais de 40 minutos até o embarque, o suficiente para exercitar um pouco a fé. "Procuro fazer a missa com cerca de meia hora de duração para que as pessoas não percam o voo", explica o seminarista Leonardo Henrique da Silva, que substituía o padre Fabrício Bezerra Lopes, da Diocese de Guarulhos, em uma das celebrações nesta semana.

Nossa Senhora de Loreto, padroeira da aviação, nunca recebeu tanta reza. "Olha, vem bastante gente mesmo. Sabe que ultimamente tem até aumentado a procura?", comenta a funcionária Clarilde Rovarotto Fleury, há 15 anos responsável pela organização da capela.

As missas do aeroporto acontecem cinco dias por semana e, para a felicidade de Clarilde, há pouco tempo passaram a ser anunciadas pelo sistema de som do aeroporto - o mesmo que informa sobre o check-in. Não por acaso, na sexta-feira, o dia mais concorrido do aeroporto, são dois horários: às 11h e às 19h. "Também tem celebrações para evangélicos duas vezes por semana. Os muçulmanos vêm muito aqui. Eles ajoelham e rezam na direção de Meca", observa a católica de 75 anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.