O HOMEM DOS 12 RELÓGIOS

Apesar da visibilidade que o horário de verão rende todos os anos a Augusto Fiorelli, de 51, que atualmente acerta os ponteiros dos 12 maiores relógios da cidade e é dono de uma loja de consertos de modelos de pulso, a efeméride não muda muito o cotidiano dele.

O Estado de S.Paulo

15 Outubro 2011 | 03h04

Com 1,68m e 64kg, é impressionante assisti-lo girar cerca de 45 vezes a manivela de ferro com mais de 1 metro que mantém os ponteiros na hora certa no relógio de 4,4m de diâmetro da Estação da Luz, no centro - só para citar um dos 12.

No caminho de 145 degraus cada vez mais estreitos, em um ambiente que remete ao clássico O Corcunda de Notre Dame, Fiorelli mostra dois enormes pesos cilíndricos suspensos por cabos, e explica que o maior acerta o ponteiro da hora, e o menor mantém a máquina funcionando. "O da hora leva aproximadamente uma semana para descer 12 metros", diz. A cada sete dias, em geral às sextas, ele volta para girar a manivela e levantar o peso.

Neste fim de semana, excepcionalmente, ele terá de dar atenção a todos os seus relógios mais ou menos ao mesmo tempo.

Casado, três filhos e morador da zona norte, Fiorelli conta que aprendeu o ofício com o avô relojoeiro, aos 15 anos, e nunca mais parou. / P.S.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.