O ex-mais rico do Brasil

Caipira de lição

TUTTY HUMOR, O Estado de S.Paulo

04 de dezembro de 2012 | 02h05

Parado pela lei seca, Luciano Huck admitiu que tomou uma lição. Não ficou muito claro se de vodca ou de cachaça, mas ele jura que foi uma só!

Sois rei!

O príncipe Harry parecia ontem o mais feliz da família real britânica com a gravidez da cunhada Kate Middleton. Explica-se: com o nascimento do(a) filho(a) do irmão William, ele perderá o terceiro lugar na linha de sucessão ao trono. Tem mais o que fazer do que bancar a vovozinha!

Apologia da biscateira

Elevadas recentemente ao protagonismo das telenovelas, elas ganharam agora homenagem especial no show da Madonna: as "periguetes" estão virando modelo de comportamento para as adolescentes brasileiras. No futuro, imagina-se, vai ser superchique posar de vulgar e sem-vergonha!

Vai com Deus!

Os corintianos já têm um bom motivo para comemorar no Japão: o presidente da CBF, José Maria Marin, trocou a delegação do Timão pela da Fifa no Mundial de Clubes! Não é nada, não é nada, é um pé-frio a menos na parada!

Nada a ver

Suzana Vieira nem sequer conhece os irmãos de mesmo sobrenome enrascados na Operação Porto Seguro da Polícia Federal. E não se fala mais nisso, ok?

Álibi

A torcida do Corinthians é inocente! Nem havia chegado ao Japão quando desabou aquele túnel a cerca de 80 quilômetros de Tóquio!

Nenhum de nós sabe o que é isso: a sensação de acordar um belo dia e descobrir que não é mais o homem mais rico do Brasil deve ser muito pior que acabar o ano como vice-campeão brasileiro de futebol. A torcida do Atlético Mineiro pelo menos tem o consolo da vaga na Copa Libertadores para comemorar.

O clima ontem era de Parque Antártica na mansão de Eike Batista, que na rodada do fim de semana perdeu para Jorge Paulo Lemann, maior acionista da Ambev, o título de brasileiro mais rico do mundo no ranking da Bloomberg.

Perdeu feio: embora a diferença entre as respectivas fortunas esteja na casa dos míseros US$ 300 milhões pró-Lemann, Eike perdeu uns US$ 16 bilhões nos últimos seis meses, reduzindo sua riqueza à mixaria de US$ 18,6 bilhões.

Nem quando se separou da Luma de Oliveira o dono da OGX se sentiu tão humilhado na exposição de seu nome no noticiário.

Superado o passado de ex-marido, o empresário ganhou notoriedade nos últimos dias como o ex-homem-mais-rico-do-Brasil.

Por mais que a gente ache que o cara chora de barriga cheia, convenhamos, nenhum de nós sabe o que é isso!

Efeito continuado

Amigos de Alex Atala estão preocupados! Dois dias depois do sorteio dos grupos da Copa das Confederações, o célebre chef de cozinha brasileiro continua trocando as bolas com frequência!

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.