O eleitor é meio inocente!

Páreo duro

TUTTY HUMOR, O Estado de S.Paulo

27 Novembro 2012 | 02h05

Felipe Massa vai ter ainda de chorar muito no pódio para superar Rubinho Barrichello nesse quesito.

Exagerado

Não conheço ninguém que morra de amores pelo Mano Menezes, mas que diabos o Romário tem contra o técnico para comemorar com fogos sua demissão da seleção brasileira? Já não bastava tê-lo chamado publicamente de imbecil, idiota, frouxo, incapaz, covarde, desonesto, uma vergonha para o futebol e o escambau? Nem do Edmundo o Baixinho chegou a ter tanta bronca!

Pena ecológica

O deputado Vicente Cândido deu uma ideia: "Se José Genoino cair no Rio Pinheiros, é capaz de purificá-lo em dez minutos, dada sua pureza". Não custa nada tentar, né não?

Sem censura

Já está à venda nos camelôs das principais cidades brasileiras o DVD com a íntegra do estupro de Jéssica, personagem de Carolina Dieckmann em Salve Jorge. A cena original foi exibida cheia de cortes pela Globo!

Justiça espada

Joaquim Barbosa quer o Judiciário "sem firulas, floreios e rapapés". Ou seja, "sem tró-ló-lós nem nhe-nhe-nhens", como diziam antigamente!

Merry Christmas

Como se não bastasse a Black Friday, o Brasil macaqueou a Cyber Monday do calendário comercial americano. Periga o Natal virar Christmas nas vitrines de 2012!

Por mais difícil que tenha sido para o paulistano definir seu candidato a prefeito nas últimas eleições, nada se compara ao dilema de todo brasileiro que atendeu ao chamado do site da Fifa para ajudar a escolher entre Fuleco, Zuzeco e Amijubi o nome do tatu-bola mascote da Copa de 2014.

Ganhou Fuleco, como poderia dar Russomanno ou Serra na sucessão de Kassab!

Por mais que nada justifique certos resultados das urnas, precisa ver também as opções que dão ultimamente ao eleitor antes de sair por aí crucificando o pobre coitado.

Fala sério: votar está ficando chato pra caramba!

Daí, talvez, o desinteresse da opinião pública quando foi chamada a batizar a bola da Copa no Brasil. Deu Brazuca - à frente de Bossa Nova e Carnavalesca -, como poderia dar Chalita no lugar do Haddad.

Agora mesmo, a gente vê o desânimo na cara do povo sempre que é instigado nos botequins ou na internet a se manifestar entre Felipão, Tite ou Muricy para a vaga do Mano.

A indiferença, no caso, não é só uma sensação de "tanto faz": vai que sua opinião coincida com a decisão que José Maria Marin tomará em janeiro - ninguém quer começar 2013 com esse carma, né não?

Há quem não goste!

Em defesa de Rosemary Noronha, ex-chefe de gabinete da Presidência em São Paulo, deve-se dizer que, para muita gente, uma viagem de navio com os cantores Bruno e Marrone é muito mais castigo que propina!

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.