O delírio de uma parte do Judiciário

ANÁLISE: Pierpaolo Cruz Bottini

O Estado de S.Paulo

20 de outubro de 2013 | 03h10

Desde 2011, temos toda uma lei voltada para o bom andamento do processo e não uma antecipação da pena. A grande questão é que uma parte do Judiciário talvez ainda não tenha compreendido esse caráter. Ou, em uma ânsia de dar uma resposta ao clamor popular ou à morosidade do processo, esteja usando a prisão preventiva como antecipação de pena - mas isso é um delírio.

A ideia da nova lei foi sempre transformar parte das prisões preventivas atuais em outras medidas cautelares e contribuir inclusive com um menor nível de encarceramento.

PROFESSOR DOUTOR DE DIREITO PENAL DA

FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE

DE SÃO PAULO (USP)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.