'O crime organizado só floresce quando há corrupção no Estado'

Ao falar sobre a operação da PF, o ministro José Eduardo Cardozo (Justiça), alerta para o "vírus da corrupção".

Entrevista com

O Estado de S.Paulo

08 Outubro 2011 | 03h04

A operação da PF é uma resposta ao crime organizado?

É uma ação permanente da PF no combate ao crime organizado. Existem organizações que atuam muito pesadamente. Após apuração cuidadosa e meticulosa, era necessário aqui tomar medidas cabíveis para que situações como esta não continuem a incidir na realidade do País. A PF funciona bem.

Por que o crime chegou a esse ponto de ousadia?

Acho que o crime organizado só floresce quando há corrupção no segmento da máquina pública. Uma característica central do fortalecimento do crime organizado é a existência de infraestruturas atingidas pela corrupção no Estado, em seus diversos segmentos. O crime organizado traz consigo o vírus da corrupção. Corromper autoridades é uma forma de fazer com que o crime não seja atacado e floresça.

A corrupção o preocupa?

Especialmente quando ela atinge camadas do Estado que deveriam ser impermeáveis a ela - as forças policiais, a máquina judiciária, o universo político... Quando o crime captura setores do Estado, nós temos grande dificuldade. É o pior dos mundos. / FAUSTO MACEDO e DAIENE CARDOSO

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.