O Corinthians e a cidade vão ganhar

Quando se discute a cessão do Pacaembu ao Corinthians, surge um questionamento: é justo que a Prefeitura privilegie somente um clube com a entrega de uma praça esportiva que é de todos?

Oliver Seitz, pesquisador da Universidade de Liverpool

25 Março 2009 | 13h03

 

 Veja também:

link30 anos de concessão do Estádio do Pacaembu

linkChegamos ao limite, diz secretário de Esportes sobre Pacaembu

linkO Pacaembu pertence a todos

 forum Você concorda com a concessão do estádio ao Corinthians?

 

Por um lado, a atitude pode ser interpretada como injusta, uma vez que beneficia somente um time da cidade. Por outro, pode ser bastante democrática. Ao se eximir dos custos de manutenção, que não é economicamente bom negócio, o poder público pode redirecionar investimentos para setores carentes, como saúde, segurança e educação. Se ela custeava um estádio que tinha fim específico e limitado como a prática do futebol de alto nível, ela vai reverter o valor em benefícios para a população.

 

Em geral, estádios no mundo inteiro tendem a ser financiados, direta ou indiretamente, pelo dinheiro público.

 

Como referência, e apenas isso, é possível utilizar o valor de US$ 5 mil por lugar como base para o cálculo de construção de um estádio. Para 40 mil pessoas, um estádio custaria US$ 200 milhões. Levando-se em conta uma vida útil de 30 anos, ele precisaria gerar lucro de US$ 7 milhões/ano para se pagar. Daí a

 
 Foto: Divulgação
 O pesquisador Oliver Seitz
busca do auxílio público. Esse custo tem sido reduzido na medida em que clubes se desenvolvem administrativamente e buscam novas formas de vender suas arenas.

 

Com a exploração de camarotes, soluções de alimentação e desenvolvimento imobiliário do entorno, conseguem reduzir o inevitável prejuízo de se ter nova casa. E, ao mesmo tempo em que o Pacaembu isentará o Corinthians de boa parte desses custos, o clube também não poderá usufruir de todas as receitas, principalmente do desenvolvimento imobiliário. A equação dos fatores, no entanto, sugere que a atitude seja racionalmente interessante, tanto por um lado quanto por outro. É fato que o Corinthians será esportivamente beneficiado. Mas a cidade possivelmente também seja. E é isso que precisa ser levado em conta.

Mais conteúdo sobre:
JT Debate Pacaembu

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.