O bullying no futebol

Fizeram muito bem em chamar um psicólogo! Como qualquer garoto que apanha o tempo todo na escola, Neymar poderia acabar inventando dor de barriga ou outra indisposição para não voltar a campo. Foi até bom ele reagir irritado daquele jeito aos tabefes e pontapés que toma toda vez que entra na brincadeira de bola. Sinal de que a apatia, sintoma clássico nas vítimas de bullying, ainda não o derrubou na área.

Tuttys Vasques, O Estado de S.Paulo

15 de setembro de 2010 | 00h00

Imagina só o Neymar deprimido, desmotivado, querendo faltar ao jogo, cheio de angústias e medo. O bullying no futebol tem a agravante de por vezes ser praticado por um moleque com idade para ser pai da vítima. No mais, é tudo igualzinho ao gênero escolar da maldade: vale bater, chutar, beliscar, xingar, intimidar, ameaçar, perseguir, enfim, os maus-tratos de praxe entre meninos da mesma idade.

Ainda que Neymar possa driblar tudo isso sozinho, o psicólogo que o Santos anunciou para cuidar da cabeça de seu jovem craque talvez o ajude a chegar ao ponto nevrálgico de sua irritação: precisa tocar no trauma de ter recusado proposta milionária do Chelsea para apanhar nos gramados da Grã-Bretanha. Será que não é por isso que estão zoando dele em campo?

A inigualável

Sophia Loren reapareceu em público como jurada do concurso Miss Itália. Perto da atriz, o botox da Marta Suplicy parece coisa de criança. Essas coisas a oposição não vê!

Viajando na maionese

Três semanas após a estreia do projeto "JN no ar" - série de reportagens transmitidas a cada dia de um extremo do Brasil no Jornal Nacional -, o jet lag pegou Ernesto Paglia de jeito. O jornalista não está falando coisa com coisa quando liga pra casa.

Sem data pra terminar

A festa da abertura da Copa do Mundo de 2014 já começou em Salvador. Isso quer dizer o seguinte: Ricardo Teixeira vai passar a perna em São Paulo de novo!

Outra barriga

Quando todo mundo pensava que Ronaldo Fenômeno não jogaria contra o Fluminense por motivos óbvios, o departamento médico do Corinthians creditou o veto ao jogador a um edema na barriga da perna. É muita cara de pau, né não? Ou será que a gente confundiu as barrigas?

A agonia de Roriz

Joaquim Roriz entrou com recurso contra a Lei da Ficha Limpa no STF. Não sossega enquanto não recuperar o direito de perder as eleições nas urnas do Distrito Federal.

Ele merece!

O governo bem que podia empregar Israel Guerra, o tal filho da Berenice, na futura Embaixada do Brasil no Afeganistão. Com esse nome, não tem erro, ele vai se dar superbem por lá.

Agora vai!

Convocado para apagar o fogo na Receita Federal, Guido Mantega foi ali pegar a mangueira e já volta!

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.