''O bom policial não teme uma Corregedoria forte''

Martha Rocha, que entrou na polícia fluminense em 1983 e chegou ao cargo de delegada em 1989, disse que vê o desafio de assumir a Polícia Civil em um momento de crise "pela ótica dos bons policiais".

Pedro Dantas, O Estado de S.Paulo

16 Fevereiro 2011 | 00h00

Sobre a interdição da Delegacia de Repressão às Atividades Criminosas Organizadas (Draco), lacrada por Allan Turnowski no domingo para investigar o delegado que havia colaborado com a Operação Guilhotina, ela afirmou que aguardará a manifestação da Corregedoria da Polícia. "Seria leviano fazer qualquer coisa diferente."

Ela prometeu ainda fortalecer a formação dos policiais, em especial a Academia de Polícia, e a Corregedoria interna da instituição - na qual já chegou a atuar como titular. "O bom policial não teme uma corregedoria forte. Vou apostar ainda na experiência dos policiais no preenchimento dos cargos (da cúpula policial e do comando das delegacias)", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.