NY fecha 2012 com menor nº de homicídios em 5 décadas

Ao todo, 414 pessoas foram assassinadas; mês de novembro chegou a ter um dia sem registro de violência

GUSTAVO CHACRA , CORRESPONDENTE , NOVA YORK, O Estado de S.Paulo

02 Janeiro 2013 | 02h03

O ano de 2012 ficará na história como aquele com o menor número de homicídios em Nova York em cinco décadas, desde quando começaram a ser coletados dados sobre criminalidade na maior metrópole dos Estados Unidos. Ao todo, 414 pessoas foram assassinadas nos 12 meses fechados na sexta-feira, de acordo com dados da NYPD (Polícia de Nova York).

Se for levada em consideração a população, o índice de homicídios em Nova York foi 11 vezes menor do que em Detroit, sete vezes inferior a Baltimore e cerca de um terço do registrado em Chicago e Washington - entre as grandes cidades mais violentas dos Estados Unidos.

Em muitos dias ao longo de 2012, não houve sequer um assassinato em Nova York, que tem uma população similar à de São Paulo. No mês de novembro, um dos dias não teve nenhum registro de crimes violentos, envolvendo tiroteio ou esfaqueamento, mesmo sem mortos. Os dados foram celebrados pelo prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, em cerimônia de graduação de novos policiais no ginásio do Brooklyn Nets na manhã de sexta-feira.

"Nossos policiais são admirados em todo o mundo e esta é a razão de Nova York poder se considerar a cidade mais segura desta nação", disse Bloomberg aos recém-graduados. "A polícia reduziu o crime em 32% ao longo da última década e fez Nova York ter o menor número de homicídios em meio século."

Desde que Bloomberg assumiu o poder, em 2002, o número de assassinatos caiu 35%. Em relação a 2011, o total de homicídios teve uma queda de 19%. O ano mais seguro dos últimos 50 anos era 2009. O mais violento foi 1990, quando 2.245 pessoas foram mortas em Nova York. Cinquenta anos atrás, em 1963, houve 548 homicídios.

Armas. "Estamos confiscando 8 mil armamentos anualmente, sendo 800 deles ilegais. Prevenimos crimes antes de alguém ser assassinado e antes de alguém ir para a cadeia por homicídio", disse o comissário de polícia (espécie de secretário de Segurança), Raymond Kelly. Uma das políticas mais importantes da atual administração de Bloomberg é a Operação Impacto. A polícia identifica áreas mais violentas e lança ações para reduzir o crime nessas regiões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.