Nuvens impedem nível máximo de radiação solar em SP

Ao meio-dia desta quarta, 24, índice ainda era considerado elevado, exigindo uso de protetor solar

Priscila Trindade, do estadao.com.br,

24 Fevereiro 2010 | 15h53

 

 Selo-Verao

SÃO PAULO - A nebulosidade na capital paulista impediu que os raios ultravioleta (UV) voltassem a atingir nesta quarta-feira, 24, o índice máximo de radiação. Na terça-feira, a cidade bateu o grau máximo de raios UV -- numa escala que vai de 1 a 14 -- devido a falta de nuvens no céu que funcionam como uma capa protetora contra esse raios.

 

De acordo com o Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (Cptec), por volta do meio-dia, hoje o índice ficou acima de 11, condição ainda considerada alta, mas não chegou a 14. Mesmo assim, é preciso usar protetor solar, boné e procurar se proteger nas sombras.

 

O Cptec informou que é comum nesta época do ano os índices de raios UV chegarem ao extremo. A partir de março, quando tem início a estação outono, a tendência é de que haja redução desses índices.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.