''Nunca vão superar o que viram''

A cada minuto, os bombeiros em Petrópolis recebem informação de soterrados, de parentes desesperados. Hamilton Furtado, que perdeu 15 parentes, ajuda nas buscas, na esperança de encontrar um "dos seus mortos". Encontrou o de outra triste família. "É mulher, usa calça jeans e está com as unhas dos pés pintadas. É só o que dá pra ver", diz. O cabo Léo Costa diz que o mais triste não é tirar os corpos. "É ver o sofrimento dos que viveram para contar suas histórias. Nunca vão superar o que viram naquela noite."

Flávia Tavares, O Estado de S.Paulo

17 Janeiro 2011 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.