Gabriela Biló/Estadão
Gabriela Biló/Estadão

Número de roubos de celular aumenta durante carnaval

'Estado' separou algumas dicas para o folião não ter o aparelho roubado em aglomerações; confira

Ana Paula Niederauer, O Estado de S.Paulo

09 Fevereiro 2018 | 11h35

 A chegada do carnaval não arrasta só foliões para as ruas de São Paulo. Os ladrões de telefones celulares também fazem a festa nesta época do ano.

Segundo a Polícia Civil, 31 celulares foram roubados e furtados de pessoas que participavam de blocos pré-carnavalescos na região do Baixo Augusta, zona central da capital, no domingo, 4. Os smarthphones foram apreendidos com quatro homens e uma mulher que responderão por roubo.

O coronel da reserva da Polícia Militar e consultor da área de segurança José Vicente da Silva Filho disse que o aumento de roubo nessa época se deve a vulnerabilidade das pessoas e que os cuidados precisam ser redobrados durante o carnaval.

"Se for para bloquinhos ou locais de muita aglomeração o ideal é não levar o celular. Mas se for levar, a pessoa deve deixar o aparelho o tempo todo guardado, em um bolso com botão. Quando for fazer alguma ligação, o folião deve entrar em algum local abrigado como uma loja ou um posto de gasolina", recomenda.

Após problemas, Metrô terá operação especial no carnaval

Em nota, a Polícia Militar afirma que, todos anos, durante o período do Carnaval, desenvolve uma grande operação na capital, no interior, no litoral, nas estradas estaduais, a fim de garantir a segurança dos foliões e de toda a população. No texto, a polícia informa que é importante lembrar que todos devem contribuir com a segurança, adotando e difundindo algumas medidas de autoproteção (situações de emergência devem ser informadas à PM por meio do telefone 190).

1,9 milhão de carros devem deixar São Paulo no Carnaval

O Estado separou algumas dicas para o folião não ter o aparelho roubado nos blocos deste carnaval:

Cuidado com selfie no meio do bloco;

Use pochete ou doleira próximas ao corpo, ou por dentro da fantasia;

Nunca coloque o celular no bolso traseiro;

Evite deixar os smartphones em cima de mesas ou balcão de bares;

Procure ficar em grupos, pois os ladrões preferem vítimas isoladas;

Tenha o IMEI do celular (espécie de documento de identidade do aparelho);

Caso seja furtado ou roubado procure o mais rápido possível uma delegacia de polícia e informe o IMEI do celular.

Ao comprar bebidas com ambulantes, procure saber se são credenciados pela Prefeitura e opte por dinheiro ao invés de cartão bancário;

Não espere os meios de transportes coletivos, táxi ou Über na rua, com aparelho na mão. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.