Número de praias 'ótimas' do litoral de SP quase quadruplica

Em 2011, só 3% tinham nota máxima da Cetesb no balanço anual; entre janeiro e novembro, proporção subiu para 11%

NATALY COSTA, O Estado de S.Paulo

08 de dezembro de 2012 | 02h02

A qualidade das praias paulistas melhorou neste ano. Segundo a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), de janeiro a novembro a quantidade de praias consideradas "ótimas" quase quadruplicou - foi de 3% para 11%. Já as "péssimas" passaram de 14% para 6%.

A classificação da Cetesb em ótima, boa, regular, ruim e péssima leva em conta o tempo que cada praia esteve própria ou imprópria para banho nas medições semanais. Uma praia péssima é a que passou mais da metade do ano com bandeira vermelha. A boa, por sua vez, teve bandeira verde todo o tempo.

A companhia afirma que a melhora foi resultado de investimentos na rede de saneamento. Também neste ano houve menos chuvas, que levam poluentes para o litoral.

O litoral norte foi onde a qualidade mais subiu. Camburizinho e Jureia do Norte, em São Sebastião, e as Praias Vermelha e Vermelha do Norte, em Ubatuba, passaram de boas para ótimas. Maranduba e Picinguaba, na mesma cidade, foram de regulares para boas. Já a Perequê-Mirim, em Ubatuba, era péssima em 2011 - agora, é só ruim. Em Ilhabela, quatro praias estão na categoria "boa": Praia Grande, Curral, Sino e Julião - antes, era apenas o Saco da Capela.

Em Santos, todas as praias passaram de péssimas para ruins, menos Ponta da Praia, que continua na pior categoria. No Guarujá, Tombo e Astúrias, que eram boas, agora são consideradas regulares por terem ficado quatro e 12 semanas impróprias, respectivamente. Na Baixada Santista, só uma praia é considerada ótima: Guaratuba, em Bertioga.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.