Número de mortes no trânsito de SP cai 5%

O número de mortes no trânsito paulistano apresentou queda de 5% em 2009. Foram registrados 1.382 casos entre janeiro e dezembro, ante 1.463 do mesmo período do ano anterior.

, O Estadao de S.Paulo

18 Março 2010 | 00h00

A redução envolveu praticamente todos os tipos de acidentes: com ciclistas, com ocupantes de veículos e com motociclistas - invertendo uma tendência de alta em praticamente toda a década. A exceção foi a quantidade de pedestres mortos, que se manteve praticamente estável em relação ao ano anterior.

Atropelamentos mataram 671 pessoas no ano passado em São Paulo, uma vítima a mais que o em 2008. Uma das contradições é que a manutenção do índice aconteceu em um ano em que foram realizadas diversas campanhas para incentivar o uso da faixa de segurança e para coibir a invasão das áreas dos pedestres pelos veículos.

No ano passado, foram registradas 428 mortes de motociclistas, ante 478 de 2008. A redução de vítimas ciclistas caiu de 69 para 61 e o de ocupantes de veículos, de 246 para 222.

Locais. Apenas cinco vias da cidade foram responsáveis por quase 10% das mortes na cidade de São Paulo. A mais perigosa continua sendo a Marginal do Tietê, onde no ano passado ocorreram 50 casos. Na sequência aparecem a Marginal do Pinheiros (30 mortes), Avenida Aricanduva (18), Estrada de M"Boi Mirim (18) e a Avenida Jacu-Pêssego/Nova Trabalhadores (17).

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.