Número de homicídios volta a cair no Estado de SP; roubos de carros sobem

Assassinatos tiveram queda de 12,2% no 1º semestre, enquanto roubos aumentaram em 9,77%

Elvis Pereira e Marcela Gonsalves, estadão.com.br

25 Julho 2011 | 15h00

SÃO PAULO - O número de homicídios dolosos - quando há intenção de matar - continua em queda no Estado de São Paulo, mas o número de veículos roubados aumentou. As informações fazem parte das estatísticas mensais da criminalidade, divulgadas pela Secretaria da Segurança Pública (SSP) nesta segunda-feira, 25.

 

Duas mil pessoas foram assassinadas no primeiro semestre deste ano, 12,2% a menos em comparação ao registrado no mesmo período do ano passado, o que representa redução de 278 casos. Com isso, a taxa chegou a 9,6 casos por grupo de 100 mil habitantes, inferior ao nível considerado epidêmico pela Organização Mundial de Saúde (OMS). No mesmo período, os furtos de veículos aumentaram em 7,77%, enquanto os roubos de carros cresceram 9,77%. Aumentou também o número de latrocínios, com 27 casos a mais.

 

Pela manhã, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) comemorou a queda nos homicídios. "É o menor índice dessa série histórica", afirmou durante visita ao 31º Distrito Policial (Vila Carrão), na zona leste da capital. "Esse índice vem caindo há dez anos graças a uma política pública bem executada", observou o secretário de Segurança Pública, Antônio Ferreira Pinto.

 

Sobre o crescimento dos casos de latrocínio, o secretário afirmou: "Houve um aumento que nos preocupa e estamos estudando, colocando policiamento onde há maior incidência desse crime." Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), este tipo de crime está recebendo atenção especial das polícias paulistas.

 

Outros números. As tentativas de homicídios, os roubos em geral e as extorsões mediante sequestro também foram crimes que registraram queda no número de casos no Estado. Os flagrantes de tráfico de drogas tiveram aumento, assim como o número de prisões, que subiu 11,38% no semestre.

 

Texto atualizado às 17h30.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.