Número de casos de resistência seguida de morte cai 57%

Os casos de resistência seguida de morte - ocorrências de homicídios praticados por policiais em supostas trocas de tiro com as vítimas - despencaram em abril, mês em que o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) passou a investigar esse tipo de ocorrência. Houve queda de 57% nesse tipo de caso - em abril do ano passado, morreram 58 pessoas nesse tipo de ocorrência; neste mês de abril, foram 25.

Bruno Paes Manso, O Estado de S.Paulo

17 de maio de 2011 | 00h00

Até março, as investigações desses casos acabavam sendo feitas pelos distritos territoriais, sem especialização nesse tipo de caso. A mudança de política ocorreu depois que o Estado revelou a gravação feita ao 190 em que uma mulher narrava uma execução feita em tempo real por um integrante da PM.

Segundo o comandante geral da Polícia Militar, Álvaro Batista Camilo, a PM já vinha registrando neste ano tendência de diminuição de letalidade. Todos os meses do primeiro quadrimestre deste ano tiveram menos ocorrências que no ano passado. A queda acumulada no período foi de 37%. A redução mais brusca foi em abril. "Para a PM mudou pouco. Interessa sempre investigar abusos."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.