Evelson de Freitas/Estadão
Evelson de Freitas/Estadão

Número de casamentos entre pessoas com mais de 45 dobra

No Estado de São Paulo, o acréscimo de idade nas novas uniões foi de 4 anos para as mulheres e 3,7 para homens, entre 2000 e 2012

MONICA REOLOM, O Estado de S.Paulo

20 de outubro de 2013 | 03h09

Assim como a maioria das noivas, Rosalia Raia ganhou chá de lingerie das amigas, mandou fazer um vestido branco, preparou uma festa de arromba e sentiu frio na barriga ao entrar na igreja no dia marcado. Mas, diferentemente da maioria, teve como padrinhos os seus filhos e os do futuro marido, e os netos foram as daminhas e os pajens.

Aos 60 anos, Rosalia entrava na igreja pela segunda vez, mas pela primeira sentia a emoção de estar com seu "grande amor". "Tive um casamento de 23 anos, mas o que aconteceu há cinco anos foi o encontro da minha vida", afirma. "No primeiro casamento, tinha apenas 18 anos e foi minha mãe quem organizou tudo. Naquele tempo, a gente se casava para ficar sozinha com o namorado", se diverte.

Rosalia e o marido, Orestes de Almeida Prado, que quando se casou, em 2011, tinha 65 anos, retratam as estatísticas divulgadas neste mês pela Fundação Seade. Segundo pesquisa feita com base em informações fornecidas pelos Cartórios de Registro Civil do Estado de São Paulo, entre 2000 e 2012, mais que dobrou o número de homens e mulheres com 45 anos ou mais que se casaram. Entre pessoas com mais de 60 anos, a alta foi ainda maior: 147 % entre os homens e 182% entre as mulheres.

"A união consensual aumentou nos últimos tempos, e agora o casal está formalizando a relação. Por isso, cresceu a idade média das pessoas que se casam", diz a socióloga Rosa Maria Vieira de Freitas, uma das autoras do estudo. Entre 2000 e 2012, o acréscimo na idade do casamento foi, em média, de quatro anos para mulheres (de 26 para 30) e de 3,7 anos para os homens (de 29 para 32,7).

"Também temos de considerar os segundos casamentos. A primeira união dura, em média, dez anos e, se a pessoa quiser se casar novamente, terá uma idade mais elevada", afirma Rosa.

O DJ Marcelo Britto, de 44 anos, ressalta as vantagens de se casar mais velho. "Casei aos 24 anos com uma mulher mais nova do que eu. Na época, não batia muita responsabilidade em relação ao casamento." Casado desde o ano passado com a terapeuta Daniela Teixeira, de 34 anos, ele admite que está mais preparado. "Eu estava pronto para a relação, mas não maduro o suficiente para levar em frente a instituição casamento. Hoje tenho mais experiência para encarar a vida a dois."

Prática. Para a jornalista Rita Tavares, de 52 anos, o casamento foi uma decisão pragmática. "Tínhamos uma união estável, mas quase todas as burocracias relativas a propriedades, convênios e bancos seriam resolvidas mais facilmente se fôssemos casados", diz Rita, que se casou em 2008 após morar 13 anos com o professor Samir Cury, de 49. Assim como eles, em 2012, de cada quatro casamentos, um envolveu mulheres mais velhas que os maridos - um recorde.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.