Ayrton Vignola/AE
Ayrton Vignola/AE

Número de atropelamentos cai 64% em 35 cruzamentos após campanha

No da Brigadeiro com a Paulista, campeão de ocorrências no ano passado, não houve mais registro de vítimas

Cida Alves, O Estado de S.Paulo

12 de agosto de 2011 | 00h00

ESPECIAL PARA O ESTADO

Dois meses após o início da campanha de respeito à faixa de pedestre, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) registrou uma queda de 64% no número de atropelamentos em 35 cruzamentos da região central e da Avenida Paulista, parte da primeira Zona Municipal de Proteção ao Pedestre (ZMPP).

De 11 de maio a 10 de julho deste ano aconteceram oito atropelamentos nesses locais. No mesmo período de 2010, foram 22.

Desde o início da campanha, ainda não foi registrado nenhum atropelamento no cruzamento das Avenidas Brigadeiro Luís Antônio e Paulista. O local concentrou o maior número de ocorrências no ano passado, com 12 pedestres atropelados.

Nos cruzamentos da Rua Augusta com a Peixoto Gomide e com a Avenida Paulista - onde não houve vítimas entre maio e julho de 2010 - foi registrado um atropelamento em cada um desses locais neste ano. A CET não especificou se os atropelamentos resultaram em morte.

Fiscalização. Os dados da companhia, entretanto, não refletem a realidade de todos os 78 cruzamentos onde, desde a última segunda-feira, agentes da CET trabalham multando os condutores que não respeitam a faixa.

A companhia explicou que esses 35 cruzamentos foram selecionados para a pesquisa por terem registrado atropelamentos no ano passado.

A CET informou ainda que não tem dados comparativos de atropelamentos dos outros 43 cruzamentos.

Na próxima semana, a companhia deverá divulgar um balanço do número de multas aplicadas na primeira semana de fiscalização. Atualmente, trabalham nos cruzamentos 154 marronzinhos.

O efetivo será reforçado com a atuação de 36 policiais do Comando de Policiamento de Trânsito (CPTran). Com isso, o número de agentes trabalhando exclusivamente na fiscalização do respeito à faixa de pedestre passa a ser de 190.

Segundo o Código de Trânsito Brasileiro, o motorista deve dar preferência ao pedestre nas faixas de segurança sem semáforo e quando a pessoa ainda não concluiu a travessia onde há semáforo. O desrespeito a essa lei é considerado infração gravíssima, com multa de R$ 191,53 e perda de sete pontos na carteira.

 

Veja também:

linkMaioria dos motoristas ainda desrespeita pedestre

linkSó centro e região da Avenida Paulista terão fiscalização

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.