Evelson de Freitas/AE-13/1/2011
Evelson de Freitas/AE-13/1/2011

Novos viadutos e pontes confundem motoristas em SP

Acessos e saídas da Marginal do Tietê têm problemas de sinalização e, segundo especialistas, ''ferem senso de direção'' usual dos condutores

Paulo Saldaña, O Estado de S.Paulo

25 Janeiro 2011 | 00h00

Depois da confusão com as novas pistas da Marginal do Tietê, agora são as novas pontes e viadutos de acesso e saída da via que têm causado dor de cabeça aos motoristas. Em três obras da Marginal, inauguradas em dezembro, é frequente ver motoristas confusos, voltando por cima das tartarugas quando percebem que estão no caminho errado. Especialistas falam em má sinalização e problemas de projeto que "ferem o senso de direção".

No encontro da Avenida Salim Farah Maluf com a Marginal, na zona leste, uma nova ponte atravessa por cima do rio bem ao lado da Ponte do Tatuapé e segue no sentido Castelo Branco. O problema é que, quase no meio dessa ponte, há um outro viaduto que segue para o lado oposto. Essa configuração incomum tem feito motoristas até pararem sobre a via para entender qual caminho devem seguir, aumentando o risco de acidentes.

A situação mais complicada ocorre na nova ponte que sai da pista da Marginal do Tietê, no sentido Castelo Branco, e segue sentido centro até a Avenida Cruzeiro do Sul. O acesso a essa ponte é feito tanto pela pista expressa quanto pela local. Há placas que indicam o destino correto, mas a saída fica ainda na altura do Shopping Center Norte, cerca de 1,5 km antes da ponte. Desse acesso, o motorista sequer consegue enxergar a nova ponte, que fica atrás da Ponte Cruzeiro do Sul. Se ele opta pela pista, não é mais possível retornar à Marginal.

Na semana passada, a reportagem flagrou no meio da tarde um carro da Polícia Civil dando ré na via - logo após o policial perceber o erro.

Mesmo acostumado ao trânsito da cidade, o entregador de pisos Válter dos Santos, de 38 anos, já errou duas vezes. "Estava indo para a Marginal do Pinheiros e, de repente, comecei a subir a ponte. Aí não tinha mais jeito", disse ele, parado em um semáforo para fazer o retorno. "Pior é que vou acabar perdendo a hora da entrega."

Em menos de 15 minutos, o Estado conversou com dez motoristas que haviam subido na mesma ponte por engano e aguardavam o semáforo abrir para fazer o retorno. Em geral, a reclamação era de que, além da entrada estar distante da ponte, o local tem muitas placas e não há tempo de raciocinar. "Ia para Jundiaí (interior paulista) e acabei aqui. Está tudo muito confuso", disse o caminhoneiro Jeferson Henrique, de 31 anos, queixando-se da Marginal como um todo.

Cones. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) ressaltou que o acesso à ponte está devidamente sinalizado. O problema seria que os motoristas ainda estão se acostumando aos novos acessos. A CET mantém agentes no local para "alertar e orientar" motoristas, pelo menos nesse primeiro momento. O órgão avisa, entretanto que quem cometer infrações de trânsito será autuado.

Para o consultor de trânsito Sergio Ejzenberg, o principal problema das pontes, especialmente a que vai para o centro, é que seus projetos não favorecem o que ele chama de navegabilidade. "As coisas no trânsito têm de ser naturais e intuitivas e toda a Marginal vai contra o senso de direção. Se estou indo pela Marginal do Tietê, é natural que eu me posicione na esquerda. Mas a ponte, nesse caso, sai do meio." Ejzenberg ainda ressalta que, mesmo com a sinalização, o motorista não tem tempo de decidir e acaba errando. "Andando a 70 km/h ou a 90 km/h você tem poucos segundos para decidir quando vê a placa. Se são muitas informações ou uma configuração incomum, não dá tempo de decidir."

A sinalização confusa é criticada também pelo especialista em trânsito e ex-presidente da Dersa Luiz Célio Bottura. "Se o motorista precisa comprar GPS e andar com mapa, é sinal de que quem fez a sinalização não sabe fazer. A coisa tem de ser simples, mas não é."

A Dersa, responsável pelas obras na Marginal, não comentou as críticas. A empresa não informou qual é a expectativa de melhora na fluidez com as obras. A CET também não respondeu sobre o impacto.

Ainda neste ano o motorista terá de se acostumar com mais uma nova ponte de acesso à Marginal do Tietê. Até o final do primeiro semestre, deverá ser concluída a ponte estaiada que ligará a Avenida do Estado à Marginal, no sentido da Rodovia Castelo Branco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.