Novos temporais podem atingir sul e sudeste nesta quarta

Frente fria se desloca pelo RS e pode causar temporais e queda de granizo; temperaturas continuam altas

estadao.com.br,

06 Janeiro 2010 | 08h50

Esta quarta-feira, 6, será com chuva forte em boa parte do pais, principalmente no Centro-Sul do Brasil, prevê o Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC). Estão previstas também para a região da Grande São Paulo fortes chuvas, principalmente no fim de tarde, segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE).

 

Uma frente fria se deslocará pelo Rio Grande do Sul e reforçará as áreas de instabilidade sobre parte da Região Sul. O dia será nublado e com pancadas de chuva a qualquer hora do dia no oeste do Rio Grande do Sul, centro-oeste de Santa Catarina, no centro-leste do Paraná e no sul de São Paulo.

 

Em algumas localidades ocorrerão temporais, com descargas elétricas, rajadas de vento e acumulado significativo. Há chance de queda de granizo em algumas cidades.

 

O dia será de sol entre poucas nuvens no norte do Espírito Santo, extremo nordeste de Minas, no sul da Bahia, norte do Piauí, no centro-norte do Ceará e do Rio Grande do Norte.

 

Haverá risco de chuva forte em parte de São Paulo, de Minas, do Amazonas, Pará, no Tocantins, centro-norte de Goiás e no interior da Região Nordeste, parte de Mato Grosso do Sul e do Mato Grosso.

 

No norte de Roraima, nordeste do Pará, norte do Maranhão e no Recôncavo Baiano haverá sol e possibilidade de pancadas de chuva rápida e localizada. As temperaturas não terão mudanças significativas e permanecerão elevadas em grande parte do Brasil.

 

Mais chuva em São Paulo

 

O dia começou com céu nublado e garoa isolada na Grande São Paulo, e terá volumes elevados de chuva ao longo do dia, principalmente no período da tarde e inicio da noite desta quarta-feira, informou o CGE.

 

A formação de um sistema meteorológico conhecido como baixa pressão atmosférica sobre o Estado paulista deixa o tempo instável e com chuvas na Capital e Grande São Paulo.

 

Por conta do solo já bastante encharcado, o potencial para deslizamentos de encostas em áreas de risco e formação de alagamentos fica bastante elevado. Nos próximos dias a condição do tempo não muda muito e são esperadas mais chuvas ao longo da semana.

 

O CGE registrou até as 23 horas de ontem 51 pontos de alagamentos. Desse total, 21 eram intransitáveis e 30, transitáveis. Todas as regiões foram prejudicadas. O Aeroporto de Congonhas, na zona sul, fechou para pousos e decolagens por 50 minutos, das 20h44 às 21h34.

 

O bairro mais atingido foi Pinheiros, zona oeste, que registrou 13 pontos de alagamento. Na zona leste, a situação mais grave foi na Avenida Aricanduva. Na zona oeste, o trânsito ficou complicado na Avenida Francisco Matarazzo. A chuva também deixou pessoas ilhadas, alagou casas e provocou queda de energia.

 

A chuva voltou a alagar o Jardim Romano, na zona leste, que sofre com enchentes desde o último dia 8. Bombas retiraram a água acumulada nas ruas, mas a região voltou a encher.

Mais conteúdo sobre:
chuvas alagamentos

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.