Novos carnês do IPTU começam e ser enviados nesta quinta

Mudanças ampliam número de isenções; arrecadação com imposto será R$ 544 milhões maior neste ano

Eduardo Roberto, do estadao.com.br,

12 Janeiro 2010 | 17h23

Os carnês com os novos valores do Imposto Territorial e Predial Urbano (IPTU) começam a ser enviados para os paulistanos no dia 14 de janeiro e chegam até o dia 18 de fevereiro, de acordo com a data de vencimento escolhida pelo contribuinte.

 

Quem não receber o carnê até a data limite poderá solicitar a 2ª via nas subprefeituras, da praça de atendimento da Secretaria Municipal de Finanças ou pelo site financas.prefeitura.sp.gov.br.

 

Confira aqui o cronograma de entrega dos carnês. 

 

Com o reajuste firmado pela Prefeitura no fim do ano passado, o aumento pode chegar a 30% para imóveis residenciais e a 45% para os comerciais (Os valores e outras informações também estarão disponíveis no site da Prefeitura).

 

Quem preferir pagar o imposto de uma vez, na data de vencimento da primeira parcela, terá um desconto de 6%. Do contrário, o contribuinte poderá quitar o débito em 10 vezes.

 

O aumento foi proposto pelo prefeito Gilberto Kassab (DEM) e aprovado pela Câmara no fim do ano passado. O reajuste afetará 1,7 milhão de imóveis e se estenderá até 2013. Em alguns casos, o tributo aumentará mais de 200% no período. Foi atualizada a base de cálculo do IPTU para aproximar os valores venais dos imóveis aos praticados pelo mercado, o que não era feito desde 2001. Segundo Kassab, trata-se de "justiça tributária". Com o reajuste, serão arrecadados mais R$ 544 milhões em 2010.

 

Isenções aumentam com as mudanças

 

Em 2009, um terço das faturas emitidas pela Prefeitura estavam isentas de pagamento. Com os reajustes feitos pela Câmara, diminuiu-se ainda mais as exigências para a concessão da isenção. Não pagam a taxa os munícipes que se encaixam em uma das seguintes categorias:

 

- aposentados e pensionistas com renda até 3 salários mínimos;

- entidades culturais;

- sociedades amigos de bairros;

- entidades religiosas;

- empresas jornalísticas, de rádio-transmissão ou de redes de televisão;

- agremiações desportivas;

- garagens coletivas.

 

As concessões de isenção devem ser solicitadas na praça de atendimento da Secretaria ou nas subprefeituras. Quem já realizou o recadastramento receberá pelo comunicado correio a partir do dia 07 de janeiro.

 

Também estão fora do IPTU os imóveis com valor venal de até R$ 70 mil, sendo que até o ano passado o limite era de R$ 61.240,11. Ficam livre do pagamento também as residências com valor venal de R$ 70 mil a R$ 92,5 mil. Para os imóveis residenciais até R$ 185 mil a Prefeitura concede um desconto de R$ 37 mil no valor utilizado para calcular o IPTU. Terrenos pagam o imposto normalmente.

 

Vítimas de enchentes também estão isentas

 

De acordo com a lei 14.493/2007 os proprietários de imóveis atingidos por enchentes e alagamentos a partir de 1º de outubro de 2006 podem requerer a isenção ou remissão do pagamento do IPTU.

 

O valor do desconto no IPTU pode chegar a R$ 20 mil por imóvel atingido, para cada ano em que foi vitimado. Não há necessidade de que o imóvel seja residência do proprietário e também não é necessário que seja o único imóvel.

 

Assim, se um contribuinte possui 2 ou mais imóveis que sofreram danos físicos, ou nas instalações elétricas, hidráulicas, sofreram com a destruição de alimentos, eletrodomésticos ou móveis com invasão das águas de enchentes e alagamentos, pode requerer o benefício para cada um deles. O desconto é aplicado somente no ano posterior ao da ocorrência da enchente.

 

Com informações da Agência Brasil.

Mais conteúdo sobre:
TAXA

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.