Sergio Castro/AE
Sergio Castro/AE

Novo órgão traz 1,6 mil PMs para reforçar fiscalização do trânsito de SP

Relançado nesta terça, CPTran vai multar e orientar o tráfego; comando ganhou 190 viaturas

Gabriel Pinheiro, do estadão.com.br

18 de maio de 2010 | 14h44

SÃO PAULO - A partir desta terça-feira, 18, mais de 1,6 mil policiais militares passam a reforçar a fiscalização do trânsito de São Paulo. O efetivo faz parte do Comando de Policiamento de Trânsito (CPTran), extinto havia oito anos e agora relançado pelo governador Alberto Goldman (PSDB).

 

Em solenidade no centro da cidade nesta manhã, foram entregues 190 novas viaturas que vão integrar o Comando, dividido em dois batalhões, segundo a Secretaria de Segurança Pública.

 

O órgão será subordinado ao CPC (Comando de Policiamento de Capitais). Seus homens terão como atribuição multar, fiscalizar e orientar o trânsito na capital. Também vão cuidar da formação e treinamento de policiais que vão atuar no setor.

 

O CPTran havia saído de cena em 2002 sob a alegação de que era preciso usar os 2,7 mil policiais do comando de forma mais eficiente no combate à criminalidade comum. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) passou então a ser o único órgão responsável pela fiscalização do trânsito na cidade de São Paulo. Em 2007, Prefeitura e Estado anunciaram um convênio para que a PM voltasse a atuar na cidade, apesar de o efetivo ser reduzido.

 

De acordo com integrantes da Secretaria Municipal dos Transportes, a volta do órgão tem como função principal intensificar a fiscalização de infrações que não podem ser detectadas pela CET. Os "marronzinhos", por exemplo, não têm competência legal para parar veículos e fiscalizar seu estado de conservação, assim como a documentação dos motoristas.

Tudo o que sabemos sobre:
trânsitoPM

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.