Marcos de Paula/AE
Marcos de Paula/AE

Novo comandante diz que vai 'resgatar imagem da PM' do Rio

Coronel Erir Ribeiro da Costa Filho assume em meio à crise iniciada com prisão de acusado de mandar matar juíza

BRUNO BOGHOSSIAN / RIO, O Estado de S.Paulo

30 de setembro de 2011 | 03h04

A Polícia Militar do Rio tem seu quarto comandante-geral em menos de cinco anos. O coronel Erir Ribeiro da Costa Filho assumiu a vaga deixada pelo coronel Mário Sérgio Duarte, que pediu exoneração após a prisão do tenente-coronel Cláudio Luiz de Oliveira, acusado de ser o mandante do assassinato da juíza Patrícia Acioli, em 11 de agosto.

Diante de seguidos escândalos de corrupção e envolvimento de agentes graduados em crimes, Costa Filho promete "resgatar a imagem da polícia". "Os dignos terão meu apoio. Os outros, terão a lei", declarou. Ele disse que a Corregedoria terá papel importante e minimizou as deficiências na formação dos policiais. "Ser digno vem de berço. A formação na academia de polícia não vai transformar ninguém em uma pessoa digna."

Costa Filho era o coordenador do serviço do 190. Ele já havia chefiado quatro batalhões, além do 2.º Comando de Policiamento de Área. Em 2003, ganhou projeção após acusar o então secretário de Esportes do Estado, Chiquinho da Mangueira, de envolvimento com traficantes.

Crise. O secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, atribuiu a troca de comando da PM à crise provocada pela prisão do tenente-coronel Oliveira. Segundo o secretário, Mário Sérgio Duarte decidiu nomear Oliveira para cargos de comando, apesar de saber que seu nome era contraindicado pelo setor de inteligência da PM.

Duarte tomou a decisão de pedir exoneração na tarde de anteontem, quando se recuperava de uma cirurgia para a retirada de um nódulo na próstata. Ele foi pressionado pela família, que temia por sua saúde e por sua segurança, diante da comprovação da existência de criminosos na corporação. Duarte escreveu uma carta de demissão e telefonou para Beltrame, que foi até o hospital com o subsecretário Operacional da Secretaria de Segurança, Roberto Sá, por volta das 18h30. Os três decidiram os detalhes da troca de comando, anunciada horas depois.

Também foram anunciados ontem os nomes do novo chefe Estado-Maior Operacional, coronel Alberto Pinheiro Neto, e a nova chefe de gabinete do comando-geral, coronel Katia Boaventura. O corregedor da corporação, coronel Ronaldo Menezes, também será substituído. / COLABOROU TIAGO ROGERO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.