Novo câmpus não deve oferecer curso de Medicina

A criação de um curso público de Medicina na zona leste é uma reivindicação histórica da região, mas é improvável que isso seja visto no novo câmpus da Unifesp. Pelo menos nos próximos anos.

Paulo Saldaña, O Estado de S.Paulo

04 Novembro 2013 | 02h07

"Não podemos ter um escola de Medicina sem hospital, e o nosso já está saturado", diz a reitora Soraya Smaili, que também cita as regras do governo para abertura de vagas. Luiz França, do Nossa Zona Leste, diz que o curso na região poderia incentivar o formado a trabalhar por ali. "USP e Unifesp têm a mesma mentalidade: o curso de Medicina é direcionado para a elite e não combina com a região mais pobre da cidade."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.