Novo acesso para a 23 não saiu do papel

Gilberto Kassab (PSD) anunciou, em 2009, a construção de uma nova saída direta para a 23 de Maio, que até hoje não tem prazo para ser construída

Diego Zanchetta e Rodrigo Burgarelli, O Estado de S.Paulo

27 Março 2012 | 07h40

A primeira etapa do Túnel Ayrton Senna foi inaugurada em 1995 e permitia que quem viesse do centro pela Avenida 23 de Maio pudesse chegar diretamente à Avenida Juscelino Kubitschek. A ligação no sentido contrário, porém, nunca foi feita. Para acabar com as filas diárias no lado da Juscelino, o prefeito Gilberto Kassab (PSD) anunciou, em 2009, a construção de uma nova saída direta para a 23 de Maio, que até hoje não tem prazo para ser construída.

1. Por que o Túnel Ayrton Senna não tem uma saída direta para a Avenida 23 de Maio no sentido centro?

Por causa de limitações do projeto inicial, do começo da década de 1990. Nessa época, optou-se por fazer a ligação da Avenida 23 de Maio com a Juscelino Kubitschek diretamente, no sentido bairro, inaugurada em 1995. A saída no sentido centro foi inaugurada no ano seguinte, mas, em vez de cair diretamente na Avenida 23 de Maio, ela terminou na Rua Sena Madureira.

2. Essa segunda saída não supre sozinha a demanda?

Para técnicos da Prefeitura, não. Isso acontece porque grande parte dos veículos que a utiliza diariamente quer chegar na 23 de Maio. Por isso, muitos dão voltas pelos quarteirões do entorno até chegar lá, o que complica o trânsito da Vila Mariana e causa engarrafamentos no acesso ao túnel na Juscelino Kubitschek.

3. O que Kassab propôs para resolver isso?

Em 2009, no início desta gestão, a Prefeitura de São Paulo anunciou que iria construir uma saída direta para a Avenida 23 de Maio. Um projeto anunciado à época previa a construção de um novo trecho de aproximadamente 500 metros - com duas faixas de tráfego de 3,65 metros cada uma. A ligação com a 23 de Maio seria feita a partir de um entroncamento, com o formato da letra Y. Além disso, uma terceira via alternativa na região estava contemplada para facilitar a circulação do transporte coletivo na área.

4. O projeto evoluiu?

Por um tempo, sim. Um decreto prevendo a desapropriação de uma área de 6.059 m² na Vila Mariana foi publicado. Na época, a Prefeitura informou que o projeto executivo e o Estudo e Relatório de Impacto Ambiental (EIA-Rima) estavam em elaboração. Não foi dado prazo para as obras.

5. Já se passaram três anos e estamos no último ano da gestão Kassab. O projeto vai sair do papel?

A Prefeitura não confirmou nada nem explicou as razões da demora. Por meio de nota, informou apenas que está "prospectando parcerias para executar o projeto".

A QUEM RECLAMAR

Prefeitura de São Paulo

http://sac.prefeitura.sp.gov.br/

Ouvidoria-Geral do Município

(11) 0800-175717

(11) 3334-7132

Secretaria do Verde e do Meio Ambiente

(11) 3396-3000

Notícias relacionadas
Mais conteúdo sobre:
SP na Gaveta

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.