Nove pessoas são detidas após tentativa de suborno no ABC

Os policias chegaram ao local por desconfiaram de cinco jovens que estavam ao lado de um Porsche Cayenne roubado

EFE

14 Fevereiro 2009 | 03h25

Um grupo de nove pessoas foi detido, por volta das 20h30 de sexta-feira, 13, em São Bernardo do Campo, no ABC, após parte dos suspeitos ser abordado no interior do estacionamento do Ginásio Poliesportivo da cidade, localizado no Parque Anchieta. Em patrulhamento pela região, policiais militares do 06º Batalhão desconfiaram de cinco jovens que estavam ao lado de um Porsche Cayenne. O grupo foi abordado pela PM e acabou detido após os policiais descobrirem que o carro era roubado. Os policiais acreditam que o grupo iria levar o Porsche ou para um desmanche ou para alguma oficina especializada em clonagem de veículos. No momento em que os jovens, entre eles um estudante de 22 anos, eram detidos, o pai do rapaz, um azulejista que já cumpriu pena de 10 anos no Carandiru por roubo, ligou para o celular do filho e, ao falar com um dos PMs, ofereceu R$ 30 mil reais para que todos fossem liberados. Os policiais fingiram aceitar o suborno e esperaram no local. Minutos depois, em um Celta preto, chegaram o azulejista, a filha dele, uma adolescente de 16 anos, uma advogada e o marido dela. Com a adolescente, haviam apenas R$ 18 mil, que foram apresentados aos policiais. Todo o suborno foi filmado pelos PMs, que naquele momento já contavam com o auxílio de investigadores, descaracterizados, do Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos(Garra). Todos, inclusive a adolescente, foram encaminhados ao 01º Distrito Policial de São Bernardo do Campo. Até as 2h30 deste sábado, 14, a polícia ainda estava em diligência na tentativa de encontrar outros suspeitos que ocupavam um terceiro veículo e que conseguiram deixar o local do suborno antes dos policiais anunciarem a prisão em flagrante. Não se sabe ainda quantos dos nove detidos serão autuados, mas já foi adiantado pela polícia que os crimes são de formação de quadrilha, receptação dolosa e corrupção ativa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.