TV Estadão | 30.09.2015
TV Estadão | 30.09.2015

Nove curiosidades sobre a Vila Leopoldina

O caso das meninas e do joá-bravo e mais notícias antigas que ajudam a reconstruir a história do bairro

O Estado de S. Paulo

28 de setembro de 2015 | 16h29

Sob o título “A incuria dos paes”, uma nota de 11 de abril de 1914 chamava a atenção para o caso de duas garotinhas de 4 e 5 anos, Margarida e Olinda, que saíram para passear na Villa Leopoldina, um “bairro da Lapa”, e em um campo perto de sua casa comeram (um monte de) joá-bravo. Passaram mal, intoxicadas. Foram socorridas pelo doutor Sá Pinto e levadas para o Hospital da Misericórdia. Será que ficaram bem? Não se sabe.

Veja a seguir, em ordem cronológica, outras notas sobre a Vila Leopoldina. Muitas, como a das meninas, foram publicadas pelo Estado ao longo do século XX.

      1.1894

Para fazer propaganda do loteamento de chácaras da região (que daria origem ao bairro), a empresa E. Richter & Company promoveu passeios de barco aos potenciais compradores e organizou um piquenique para 500 convidados. Não deu muito certo, porque a região não era a mais fácil de vender (pantanosa, difícil de construir). Uma das sócias da empresa se chamava Leopoldina Kleeberg, daí o nome do bairro.

 

      2.1914

Duas menininhas de 4 e 5 anos saem para passear sozinhas pela Vila Leopoldina e encontram um lugar cheio de plantas chamadas joá-bravo. Comem um monte e ficam intoxicadas.

 

3. 1942

Foi organizada uma quermesse para juntar dinheiro e viabilizar a construção da Paróquia Puríssimo Coração de Maria.

4. 1945

O escritório Tabyra anunciava a venda de um terreno para fins industriais a 60 cruzeiros o metro quadrado.

5. 1952

Em 1952, foi inaugurado o Cine Ararat (Bagdá?), no número 913 da Rua Guaipá (antiga Rua do Corredor), engrossando a lista das salas de rua da cidade. Tinha capacidade para 1 000 pessoas e exibia filmes todos os dias. Muita gente viu o seriado Flash Gordon em suas matinês de domingo.

6. 1953

Em julho, um destaque dos classificados era a propaganda de sobrados residenciais “os dois últimos de um grupo 45”, na altura do número 1260 da então Rua do Corredor (hoje Guaipá): dois quartos, entrada para auto, sala, cozinha e banheiro, por 250 mil cruzeiros.

7. 1953

O bairro ganhou um telefone público. Era 18 de dezembro quando saiu o anúncio da instalação no Estado.

 

      8.1954

Queixava-se um leitor de que “os terrenos baldios, nas proximidades do Grupo Escolar José Monteiro Boanova, no bairro Bela Aliança, em Vila Leopoldina, constituem perigo para os alunos, que poderiam ser para ali desviados por anormais. Pede o missivista, por isso, que a municipalidade providencie com os proprietários a necessária limpeza.

9. 1954

O Estado publicou a notícia de que a sub adutora da Vila Romana havia ficado pronta, com capacidade para atender a 50 mil pessoas. A água potável finalmente chegava à Vila Leopoldina.

 


Tudo o que sabemos sobre:
bairrosspvila leopoldinacuriosidades

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.