Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Nove anos à espera de museu

Casarão dos Buarques de Holanda

Diego Zanchetta e Rodrigo Burgarelli, O Estado de S.Paulo

30 de agosto de 2011 | 00h00

O histórico casarão do número 35 da Rua Buri, no Pacaembu, já completou nove anos à espera de um destino. Desapropriado em 2002 para ser transformado em um museu da música brasileira, o imóvel onde viveram o historiador Sérgio Buarque de Hollanda e seus sete filhos virou alvo de disputa judicial, só vencida pela Prefeitura em fevereiro de 2010. Mesmo assim, o casarão continua lacrado e fechado. Nem a Prefeitura sabe quando será aberto ao público.

1. Qual é a história do casarão?

O imóvel foi construído em 1929 e, 28 anos depois, adquirido pelo historiador Sérgio Buarque de Holanda (1902-1982), um dos maiores pensadores da sociedade brasileira. Ele viveu lá por toda a vida e criou os sete filhos no local - os mais famosos são o músico e compositor Chico Buarque e a atual ministra da Cultura, Ana de Hollanda. O casarão recebeu hóspedes importantes, como o sociólogo Gilberto Freyre e o músico Vinícius de Morais.

2. Por que a Prefeitura o desapropriou?

Isso ocorreu em 2002, quando a família do historiador decidiu vender o imóvel. A então prefeita Marta Suplicy decidiu comprá-lo para a Prefeitura, com a intenção de abrir ali a Discoteca da Música Brasileira - uma coleção de discos e gravações de vários artistas brasileiros aberta ao público. Mas o projeto não andou como esperado.

3. Quais foram os problemas?

Marta baixou o decreto de desapropriação, mas o valor a ser pago só foi decidido em 2006. A Prefeitura gastaria R$ 449 mil com a compra do imóvel e cerca de R$ 1 milhão para reformas necessárias para o museu sair. Uma disputa judicial, porém, impediu que o negócio se concretizasse rapidamente. Uma antiga caseira pediu na Justiça a posse do imóvel por usucapião.

4. Quando isso foi resolvido?

A disputa só foi decidida a favor da Prefeitura em fevereiro do ano passado. Depois disso, parecia não haver mais impedimentos para a transformação do local em um museu, mas a atual administração desistiu do projeto da discoteca e ainda não decidiu o que fazer do casarão.

5. O que houve depois disso?

No início deste ano, um grupo de estudantes ocupou o casarão e ficou lá por cerca de um mês, até ser retirado. A Prefeitura então murou as entradas do imóvel, que permanecem fechadas até agora. Obras de manutenção foram iniciadas no local há alguns dias, mas a Secretaria de Educação, responsável pelo casarão, afirma que seu destino final ainda está em análise.

A QUEM RECLAMAR

Prefeitura de São Paulo

http://sac.prefeitura.sp.gov.br

Ouvidoria Geral do Município

(11) 0800-175717

(11) 3334-7132

Ministério Público

(11) 3119-9000

ouvidoria@mp.sp.gov.br

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.