Novas vias não aliviam trânsito pela manhã

Mesmo com a inauguração do Trecho Sul do Rodoanel e a ampliação da Marginal do Tietê, redução da lentidão das 7 às 10 horas foi só de 1,8%

Renato Machado, O Estado de S.Paulo

23 de outubro de 2010 | 00h00

Em um ano que teve inauguração das novas pistas da Marginal do Tietê e do Trecho Sul do Rodoanel, os motoristas paulistanos continuaram enfrentando os mesmo congestionamentos de antes no horário de pico da manhã - entre 7 e 10 horas. A redução do índice de lentidão foi de apenas 1,8% entre janeiro e setembro deste ano, em comparação com mesmo período de 2009 (passou de 83 para 81,5 quilômetros).

Os números da manhã chamam a atenção porque diferem bastante do registrado em outros períodos e até com a média diária. A inauguração das obras e as restrições para caminhões criadas pela Prefeitura foram responsáveis por uma redução quase seis vezes maior no horário de pico da tarde. A média passou de 129 para 116,8 km no período entre 17 e 20 horas.

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) afirma que uma explicação para a diferença na redução registrada nos diferentes períodos é consequência da própria restrição para caminhões. Isso porque a maior parte dos casos de "exceções" - veículos de carga que podem circular em determinados períodos no centro expandido - se concentra pela manhã.

"Por exemplo, os caminhões que transportam alimentos perecíveis podem transitar até as 12 horas; os que executam os serviços de concretagem e remoção de entulho, mudanças, feiras livres, coleta de lixo e serviços essenciais, podem até as 16h", informou a companhia.

Especialistas em engenharia de tráfego, no entanto, têm outra explicação para a diferença. O mestre em transportes Sérgio Ejzenberg afirma que a maior fluidez constatada nas marginais não foi acompanhada pela melhoria em outros corredores. Ou seja, pela manhã pode ocorrer ganho no tempo de viagem nas marginais, mas os motoristas voltam a perder tempo em outros corredores.

"Pela manhã, quase todas as viagens são para o centro da cidade, em corredores já saturados. Na volta é o contrário: os motoristas vão para as marginais, que estão fluindo melhor e ajudam a dispersar o trânsito de outros corredores", diz Ejzenberg.

Índice geral. Quando comparada a média dos dois horários de pico juntos, o ano teve redução nos índices em quase todos os meses a partir de abril - o Rodoanel foi inaugurado no dia 1.º desse mês e as novas pistas da Marginal em 27 de março. A exceção foi agosto, mês em que os índices permaneceram estáveis.

A CET afirma que mesmo a redução tímida do pico da manhã é benéfica, tendo em vista o aumento da frota. "A queda foi de 12,3% quando se consideram os anos de 2008 (93 km) e 2010 (81,5 km). É importante destacar que esse resultado é muito significativo porque foi obtido apesar do aumento de 13,3% na frota da capital." Ou seja, a maior redução foi em 2009 e não neste ano, apesar das obras.

PARA LEMBRAR

Em setembro, a CET proibiu a circulação de caminhões durante o dia na Marginal do Pinheiros e Avenidas Bandeirante, Roberto Marinho e Afonso D"Escragnolle Taunay. A restrição foi possível após a inauguração do Trecho Sul do Rodoanel, que evitou que os veículos de carga passem por essas vias para chegar à Rodovia dos Imigrantes. Agora, a Prefeitura estuda estender as restrições à Marginal do Tietê. Para isso, a inauguração de um novo trecho da Avenida Jacu-Pêssego, ocorrida na semana passada, ligando a zona leste da capital a Mauá, funcionaria como um minianel viário.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.