Nova Marginal é aberta com trechos inacabados

Nova Marginal é aberta com trechos inacabados

Estado libera hoje acesso às novas pistas da via da zona norte; sinalização de segurança também não foi concluída e nova estrutura de iluminação estará pronta em outubro

Eduardo Reina e Renato Machado, O Estadao de S.Paulo

27 Março 2010 | 00h00

O governador José Serra (PSDB) inaugura hoje a nova pista da Marginal do Tietê, embora parte da obra esteja inacabada. Há pelo menos seis trechos que não devem ficar prontos até a solenidade. Além disso, não foi colocada sinalização horizontal em trechos da via, como determina o Código de Trânsito Brasileiro, e não há iluminação, que só deve ser instalada em seis meses.

No fim da tarde de ontem, pelo menos seis trechos tinham trabalhos atrasados. No sentido da Rodovia Castelo Branco, embaixo da Ponte Cruzeiro do Sul, por exemplo, havia uma grande cratera com barro onde será feita uma pista auxiliar. As fortes chuvas de quinta-feira alagaram o local e, por volta das 17h30, funcionários ainda tentavam bombear a água.

Pouco adiante, caminhões ainda despejavam massa asfáltica sobre o buraco aberto na altura da Ponte das Bandeiras e a situação é parecida perto da Ponte da Casa Verde. Há problemas perto das Pontes Jânio Quadros e do Tatuapé, com trechos que ainda não receberam asfalto. Dificilmente ficará pronta também a pista auxiliar na altura do Rio Tamanduateí (sentido Castelo), onde ainda há pedras, barro e escavadeiras sendo usadas.

Sinalização. A marcação que orienta e dá segurança também não está implementada, e a estimativa do governo estadual é finalizar as pinturas horizontais de faixas até o final de abril. As obras custaram mais de R$ 1,3 bilhão até agora. O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) determina que uma via só pode ser liberada com sinalização concluída.

As novas pistas também ficarão às escuras. Os contratos de iluminação foram assinados no dia 17 deste mês, ao custo de R$ 53,3 milhões. A Dersa, gerenciadora das obras, informou que o sistema de iluminação "estará sendo implantado e restaurado até a conclusão das obras", em outubro. Já a sinalização horizontal "está sendo implantada e finalizada até o final de abril".

A antiga rede de iluminação foi retirada durante as obras e afetou ruas paralelas, que estão às escuras, assim como algumas pontes. De acordo com o Departamento de Iluminação Pública (Ilume), órgão da Prefeitura, foram retirados cerca 750 postes. A maior parte dos demais - cujo número total não foi informado - está desligada. Dados do Ministério dos Transportes mostram que 57% dos acidentes de trânsito fatais ocorrem à noite, com ou sem iluminação.

Visão prejudicada. O médico Dirceu Rodrigues Alves Júnior, diretor do Departamento de Medicina Ocupacional da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet), diz que, quando se dirige no escuro, a visão é 50% prejudicada. "O condutor fica com desorientação espacial, não sabe medir as distâncias e tem a visão periférica diminuída. Pode ver vultos, mas sem ver os limites dos objetos", explica.

A mudança brusca de luminosidade provoca o ofuscamento da visão. "Isso é terrível. O movimento da pupila de contrair e voltar ao normal demora de 3 a 4 segundos. É um período de plena cegueira", diz o médico. Esse período, para um carro trafegando a 90 km/h, por exemplo, representa um percurso entre 70 e 105 metros de trânsito sem o motorista saber onde está passando.

Sem riscos. A administração estadual garante que os usuários da Marginal não correm perigo por causa da falta de iluminação adequada e da sinalização precária. "As vias operam com iluminação parcial até a implantação do sistema", informa a nota da Dersa. O novo sistema de iluminação terá cerca de 1.800 postes de 10 a 15 metros. Nas pontes, viadutos e alças de acesso a iluminação será diferenciada, com postes de 10 a 12 metros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.