Nova Jacu registra 1º acidente com mortes

Duas pessoas em uma moto morreram após colisão com Gol

Aline Nunes JORNAL DA TARDE, O Estado de S.Paulo

08 de novembro de 2010 | 00h00

Vinte e dois dias depois da inauguração do novo trecho da Avenida Jacu-Pêssego - entre a zona leste de São Paulo e o ABC paulista -, a via teve seu primeiro acidente com mortos. Um carro e uma moto bateram na madrugada de ontem e duas pessoas morreram.

Segundo informações da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), o acidente foi registrado no sentido Mauá, no ABC, na altura da Avenida São Miguel.

A Polícia Militar informou que as duas vítimas estavam na moto. Luiz Antônio de Souza, de 20 anos, e Edivan Rodrigues de Carvalho, de 28, teriam entrado na Jacu-Pêssego na contramão e em alta velocidade. Segundo a PM, ambos estariam embriagados. Logo após entrar na via, a moto bateu em um Gol preto.

O motorista do veículo, um barman, tentou desviar da moto, mas não conseguiu. Ele ligou para o resgate, mas quando a ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegou ao local, os paramédicos só puderam constatar a morte dos dois ocupantes da moto.

O caso foi registrado no 63.º Distrito Policial (Vila Jacuí). Apesar das infrações de trânsito cometidas pelo motociclista, nada de irregular foi encontrado na documentação da moto e das vítimas. O barman que dirigia o Gol foi averiguado pela Polícia Civil.

A perícia chegou ao local por volta das 6 horas e às 7h50, três das quatro faixas da via ficaram interditadas. O canteiro central da avenida também precisou ser bloqueado. Apesar das interdições, a CET informou que não houve congestionamento no trânsito da região e, às 8h20, a pista foi totalmente liberada.

Segundo a Secretaria Estadual de Transportes, com a ampliação, a avenida deve receber 40 mil veículos por dia. O novo trecho vai do trevo da Avenida Ragueb Chohfi, na zona leste, até o Trecho Sul do Rodoanel.

Problemas. A expansão da via até o ABC paulista foi inaugurada no dia 16 de outubro, mas a entrega havia sido adiada duas vezes antes, para o término dos trabalhos. Mesmo assim, a pista foi entregue com algumas pendências: a iluminação é feita por geradores, alças viárias e cinco passarelas para pedestres ao longo da via estão em obras.

Nas semanas antes e após a abertura, o Estado já havia publicado uma reportagem sobre o medo de moradores da região em atravessar a pista, até pelas passagens temporárias de estrutura metálica.

PARA LEMBRAR

Depois de 14 anos da inauguração do primeiro pedaço da Avenida Jacu-Pêssego, o último trecho que faltava - os 13,2 quilômetros entre a Avenida Ragueb Chohfi, na zona leste, e o ABC paulista - foi aberto em 16 de outubro deste ano. Agora, a pista liga o Trecho Sul do Rodoanel à Rodovia Ayrton Senna, em um minianel viário que, segundo a Secretaria Estadual de Transportes, deve tirar mais caminhões do centro de São Paulo.

Iniciada em 2009, a obra do último trecho foi adiada várias vezes neste ano. A última previsão antes da abertura era o primeiro dia do mês de outubro, mas o governador Alberto Goldman (PSDB) cancelou a cerimônia, por causa da falta de iluminação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.