Nova inspeção: Haddad vai 'economizar' R$ 90 mi

O novo modelo de inspeção veicular aprovado pela Câmara Municipal vai proporcionar uma "economia" de R$ 90 milhões aos cofres municipais. Com o fim da obrigatoriedade da vistoria anual para carros com menos de dez anos de uso, o custo da isenção da tarifa para veículos aprovados deve cair de R$ 150 milhões para R$ 60 milhões ao ano, segundo estimativa do prefeito Fernando Haddad (PT).

O Estado de S.Paulo

23 Março 2013 | 02h06

Neste ano, a isenção prometida virá em forma de reembolso. O motorista terá de pagar a taxa de R$ 47,44 para ter o carro submetido à inspeção, mas se for aprovado poderá pedir restituição do valor à Prefeitura. A partir do próximo ano, o pagamento será transformado em uma espécie de multa. Só os reprovados terão de arcar com o custo do serviço, além dos contribuintes em dívida com a capital.

A principal mudança, porém, diz respeito à periodicidade do serviço. Carros com até três anos, por exemplo, não serão obrigados a passar pelo programa ambiental. Depois desse período, a inspeção será exigida a cada dois anos - aos quatro, seis e oito anos de uso. A partir dos dez, torna-se anual.

Outra alteração esperada é cobrança do teste por carros e motos emplacados fora da cidade. A regra valeria para veículos que rodem por 120 dias ou mais em São Paulo, fiscalizados por meio de radares fixos. Neste caso, porém, não haverá reembolso.

Haddad afirmou ontem que vai lançar licitação para selecionar as empresas que assumirão o serviço em 2014, quando o contrato com a Controlar deve ser encerrado./ADRIANA FERRAZ e ARTUR RODRIGUES

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.