Nova avenida deve ter mais alagamentos

Aberta ao tráfego há apenas 40 dias, a Via Binário, na Zona Portuária, está sujeita a novos alagamentos. O problema ocorre por causa da ausência de um sistema alternativo de drenagem que possa ser usado enquanto não acabam as obras de infraestrutura na região - a previsão é que isso só aconteça em 2016.

Roberta Pennafort / RIO, O Estado de S.Paulo

13 Dezembro 2013 | 02h01

O engenheiro Antonio Eulalio, conselheiro do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea-RJ), acredita que não haja saída a curto prazo para tornar a região - e toda a cidade - resistente às chuvas fortes.

"Ali deveria ter sido feita alguma interligação com a rede de escoamento. Sei das complicações de uma obra urbana, mas deviam ter pensado num by-pass (caminho alternativo para as águas)", disse Eulalio.

O prefeito Eduardo Paes, que fez a inauguração da via em 2 de novembro, considerou o alagamento "inadmissível": "Não pode uma intervenção daquele porte e daquela importância apresentar o alagamento visto ontem (anteontem). A concessionária vai ser multada".

Drenagem. A Via Binário já tem sua rede de drenagem concluída, mas ela ainda não está ligada ao sistema de deságue. Isso só poderá ser feito com a derrubada completa do elevado da Perimetral, segundo a Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto.

Com a conclusão das intervenções, espera-se uma "solução definitiva" para a questão das enchentes. Serão 47 quilômetros de galerias de águas pluviais e redes de drenagem, o que vai significar uma capacidade de escoamento dez vezes superior à atual.

As bombas de sucção usadas na Via Binário foram suficientes para conter os bolsões no temporal da semana passada, mas não no de terça e anteontem. A concessionária Porto Novo, empresa contratada pela prefeitura para executar as obras na área do Porto Maravilha, aposta num reforço emergencial de cinco novas bombas para evitar mais alagamentos.

Antonio Eulalio defende que só uma reformulação em larga escala da rede de escoamento de águas pluviais dará jeito nas enchentes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.