'Nossa intenção é renovar concessão por mais dez anos'

Com o risco de ter o contrato reincidido, a Controlar partiu para o ataque. Ontem de manhã, em reunião extraordinária da Comissão de Finanças e Orçamento, o diretor-presidente da empresa, Harold Peter Zwelkoff, apelou aos vereadores: "É trocar uma coisa que está funcionando por algo incerto e duvidoso", argumentou, referindo-se à proposta de credenciar autorizadas para realizar o serviço.

O Estado de S.Paulo

20 Março 2013 | 02h04

Zwelkoff defendeu o sistema atual por duas horas diante de vereadores. Em seguida, o executivo participou da segunda audiência pública realizada na Câmara para debater a inspeção.

A Controlar afirma que a Prefeitura não tem motivos para querer reincidir o contrato. "Nós cumprimos todas as nossas obrigações. Investimos R$ 140 milhões nesse modelo. Nossa intenção é renovar a concessão por mais dez anos", afirmou Zwelkoff. Segundo ele, se Haddad insistir em interromper o serviço terá de pagar indenização. / A.F.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.