Nos últimos movimentos, grevistas tiveram anistia

Nenhum policial militar foi punido por participar de outras greves na corporação por melhorias salariais nos quatro últimos movimentos, iniciados no ano passado. Em todos, houve acordo para anistiar os revoltosos.

BRUNO PAES MANSO, O Estado de S.Paulo

08 de fevereiro de 2012 | 03h02

O fim da greve no Ceará, no Maranhão e no Piauí passou por acordo dos governos estaduais com movimentos grevistas. Já a anistia para a greve dos bombeiros no Rio ocorreu após aprovação de um projeto de lei em agosto no Senado Federal, dois meses depois da invasão do quartel da corporação.

O projeto, de autoria do senador Lindberg Farias (PT), anistiou também policiais e bombeiros militares dos Estados de Alagoas, Minas Gerais, Rondônia e Sergipe, que participaram de movimentos desde 1997. Ainda foram beneficiados militares da Bahia, Ceará, Mato Grosso, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Roraima, Santa Catarina, Tocantins e Distrito Federal que fizeram protestos em 2010.

O Estado tentou ontem conversar com o senador Lindberg Farias, mas não obteve retorno.

Assim como na Bahia, no movimento do Maranhão, desencadeado em novembro, com apoio de lideranças baianas, também houve invasão da Assembleia Legislativa. No Ceará, em janeiro, houve escalada de roubos e turistas deixaram de sair às ruas. / COLABOROU ERNESTO BATISTA E LUCIANO COELHO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.