Nos escombros, pai recupera as últimas fotografias da filha

As fotos estavam em uma máquina encontrada nos escombros do acidente

Felipe Grandin, Jornal da Tarde

23 de julho de 2007 | 21h33

As imagens alegres dos últimos dias das vidas do casal de namorados Paula Masseran de Arruda Xavier, de 23 anos, e Lucas Palomino Mattedi, de 24, são um pequeno consolo em meio à imensa tristeza vivida por suas famílias desde o acidente do avião Airbus A320 da TAM na última terça-feira.   Veja também:   Lista de vítimas do acidente do vôo 3054  O local do acidente  Quem são as vítimas do vôo 3054  Histórias das vítimas do acidente da TAM  Galeria de fotos  Opine: o que deve ser feito com Congonhas?  Cronologia da crise aérea  Acidentes em Congonhas  Vídeos do acidente  Tudo sobre o acidente do vôo 3054      As fotos estavam em uma máquina encontrada nos escombros do acidente. Mostram o último passeio do casal, em Gramado, no Rio Grande do Sul, onde ficaram durante uma semana antes de voltar para São Paulo no vôo 3054. "É uma lembrança maravilhosa da semana que minha filha passou, dos últimos momentos deles", disse emocionado Archelau Xavier, pai de Paula, durante reunião com os familiares de outras vítimas. "Foi muito bonito."   Foi ele quem reconheceu a máquina fotográfica, na sala de pertences do Instituto Médico Legal (IML), e conseguiu recuperar as imagens da filha. "Encontrei a carteira de motorista dela, a chave do carro, o iPod (tocador de música)."   Mudança de planos   Paula era formada em hotelaria pela Faculdade Armando Álvares Penteado (Faap) e estava estudando para prestar concurso público. Lucas cursava administração na PUC e trabalhava em uma empresa de software. Quando tirou férias, ganhou passagens do pai para fazer uma viagem com a namorada.   O casal pretendia ir para Porto de Galinhas, em Pernambuco, mas não conseguiu reservar uma pousada na região. Acabou indo para Gramado. De lá, Paula ligou algumas vezes para a mãe, Sílvia Xavier, para contar sobre a viagem.   Para homenagear Paula, os seus irmãos Rafael, de 22 anos, e Ricardo, de 16, colocaram as fotos da viagem na página dela no site de relacionamentos Orkut. Ricardo era o mais próximo de Paula. "Eles iam fazer teatro. Andavam o dia inteiro juntos", disse Rafael. Apesar do trauma, Rafael voltou ao trabalho. "Não tinha condição nos últimos dias", disse. "Vamos ver como vai ser. A gente tem que seguir em frente", contou.   Espera dolorosa   Agora, os pais de Paula e de Lucas sofrem com a falta de informação e a agonia da espera pelo reconhecimento dos corpos. "Tive que ir à TAM, pois ninguém me ligou", disse Archelau.   "Soube das informações por meio dos jornais e da televisão." No domingo ele foi ao hotel Blue Tree Tower, onde estão hospedados os parentes de outras vítimas, em busca de informação. Nos próximos dias, pretende passar a maior parte do tempo lá.   Morador de Alphaville, na Grande São Paulo, Archelau é empresário do setor petroquímico. Nos últimos dias, só tem se dedicado a procurar novas informações no IML e a consolar sua mulher e filhos.   "Nessa hora não dá para se preocupar com as coisas do dia-a-dia", disse. "Você quer terminar o ciclo. Fazer o enterro." Ele conta que está recebendo apoio de vários amigos e dos parentes.

Mais conteúdo sobre:
vôo 3054

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.