Nos escombros, a busca pelos pertences

Morador há cinco anos da comunidade Ilha, o comerciante Adilei Almeida Silva, de 32 anos, só teve tempo de voltar para pegar os documentos da família depois que ele e a mulher saíram de casa, no meio da madrugada, para fugir do incêndio. Horas depois, quando o fogo já havia sido controlado pelos bombeiros, entrava e saía dos escombros para pegar o que pudesse.

Caio do Valle, O Estado de S.Paulo

08 de julho de 2013 | 02h01

"Já trouxe panelas, roupas, botijão, mas perdi o fogão e o colchão", disse, apressado, entre uma viagem e outra. Ele e a mulher passariam a noite de ontem na casa de uma parente. A maioria dos desabrigados, segundo a Defesa Civil, faria a mesma coisa. No entanto, outras 19 pessoas decidiram ir para abrigos da Prefeitura.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.