Nos bairros - dormitório, uma viagem até o serviço

Em Guaianases, na zona leste da capital, são apenas 2.100 empregos para 110 mil habitantes

Rodrigo Burgarelli, O Estado de S.Paulo

25 Janeiro 2011 | 00h00

O bairro mais dormitório de São Paulo fica do outro lado da cidade, no extremo leste. É o distrito de Guaianases, que possui 110 mil habitantes para apenas 1.075 empresas e 2,1 mil empregados. Isso significa que lá menos de 2% do total de moradores trabalha na região onde vive.

Localizado em um local de difícil acesso, Guaianases é um bairro onde se acorda cedo para pegar o trem e sacolejar até o trabalho, geralmente a vários quilômetros dali.

Os habitantes no bairro, porém, acreditam em um futuro promissor, que parece ficar mais real a cada vez que um novo projeto é anunciado para a região.

O primeiro foi a inauguração no ano passado do prolongamento da Avenida Jacu-Pêssego. Agora, com o prolongamento da Radial Leste até o distrito e a construção do Trecho Leste do Rodoanel - que passará a poucos quilômetros dali -, Guaianases será cortada por vias expressas e tem chance de atrair indústrias, universidades e empresas.

O bairro também fica próximo dos limites da Operação Urbana Rio Verde-Jacu, um instrumento de incentivos fiscais e imobiliários da Prefeitura voltado à criação de postos de trabalhos.

Tudo isso ainda tem de sair do papel para funcionar, mas há quem já enxergue hoje mesmo o potencial do distrito. Uma dessas pessoas é o empresário João Rossi, de 51 anos, dono de quatro supermercados no extremo leste da cidade - o mais lucrativo deles em Guaianases, inaugurado há cerca de 8 meses.

Natural do Itaim Paulista, também na zona leste, Rossi já havia vendido uma rede de cinco supermercados na região ao Grupo Extra há cerca de quatro anos, mas percebeu que ainda havia mercado potencial na região e voltou a investir.

Na loja de Guaianases, pôs cerca de R$ 9 milhões e o retorno está compensando: o faturamento bruto mensal ultrapassa R$ 4 milhões.

"A sacada é aproveitar a mão de obra que quer trabalhar na região e a capacidade de consumo de uma área populosa, que cada vez está ganhando melhor", ensina Rossi. Assim, ele ajuda também a criar empregos - só em Guaianases são 200, a maioria ocupada por pessoas do bairro - e a alavancar a economia da região.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.