Nome de garagista oficial da Câmara desaparece de site

Após 'Estado' revelar que seu salário de R$ 11 mil é maior que o do presidente da Casa, funcionário foi tirado de lista na internet

DIEGO ZANCHETTA, RODRIGO BURGARELLI, O Estado de S.Paulo

28 de junho de 2012 | 03h05

A Câmara Municipal retirou de seu site o registro do garagista que ganhava R$ 11.431,45 por mês e virou símbolo da discrepância nas remunerações da Casa. Benevenuto da Silva Neto, funcionário há pelo menos 28 anos, recebe mais do que o presidente José Police Neto (PSD), que tem salário bruto de R$ 9.288,05.

Seu salário, maior também que o dos 55 vereadores, foi divulgado pelo Estado um dia após a Câmara de São Paulo se tornar o primeiro órgão legislativo do Brasil a divulgar remunerações de servidores e virou tema até a revista inglesa The Economist.

O nome e o salário do garagista - que constavam do site no dia 4 de junho - ontem não estavam mais lá. E ele não foi exonerado da Casa, já que não houve publicação no Diário Oficial da Cidade. Procurada no início da tarde de ontem, a assessoria de imprensa da Presidência da Casa afirmou que só conseguiria responder hoje sobre a ausência do nome de Benevenuto. O funcionário não foi localizado para comentar o tema.

Histórico. Benevenuto é um dos funcionários mais antigos da Casa. Segundo servidores, ele trabalha como motorista há décadas e já prestou serviço para ex-vereadores. Faz parte de um grupo de funcionários chamados de "celetistas", em referência à sigla CLT (Consolidação das Leis do Trabalho). São servidores contratados antes da Constituição de 1988, que criou a exigência de concurso público para ocupação de cargos efetivos. Ou seja: têm mais estabilidade no emprego e direito a todas as gratificações e aumentos previstos na carreira - não concedidas aos funcionários comissionados atuais, nomeados sem concurso.

Como ele foi contratado há quase três décadas, as regras da época abriam a possibilidade de se incorporar vários benefícios aos salários, o que explica parte das grandes remunerações dos funcionários da Câmara.

Transparência. Segundo a resolução da Mesa Diretora da Casa que determinou a divulgação dos salários, todos os vencimentos dos funcionários celetistas deveriam ter sido divulgados no início deste mês. Dessa maneira, o do "garagista de R$ 11 mil" havia sido divulgado na data correta, juntamente com as remunerações de outros 732 servidores da Câmara.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.