Noivo fujão volta e remarca casamento

Após o cancelamento do casamento ganhar repercussão pela fuga do noivo, com o caso terminando na polícia, Sueli de Lourdes Andrade Casarotti, de 49 anos, e o pedreiro Antônio Mondim, de 47, garantem: o enlace sai no sábado, às 10h30, no cartório da Vila Tibério, em Ribeirão Preto. A união estava marcada para o dia 17, mas o casal se desentendeu na véspera e Mondim foi pescar, levando pertences, R$ 19 mil, um carro e uma moto.

Brás Henrique / RIBEIRÃO PRETO, O Estado de S.Paulo

28 de julho de 2010 | 00h00

Sueli registrou boletim de ocorrência, acusando-o de roubo, mas agora afirma que tudo está esclarecido. "Ele até voltou antes do horário do casamento, mas eu não quis mais, não tinha condições de dialogar", explicou ela. Ontem, os noivos foram ao cartório remarcar a data para o casório e depois estiveram na Polícia Civil para arquivar o caso.

Eles vivem juntos há quatro anos. Sorridente, Sueli descarta dar o troco no marido, que brinca com a companheira sobre ele ser abandonado dessa vez. "Jamais faria isso, temos um relacionamento estável, somos honestos e direitos", garante a noiva. "Foi um desentendimento de casal e ela estava nervosa", emenda Mondim. Como garantia da união, avisaram que a imprensa pode registrá-la. "Tive vontade de dar uma surra nele, mas agora será diferente", diz Sueli.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.