Noite violenta tem mais 2 PMs mortos

Cabo e soldado morreram a tiros em Heliópolis, perto de ponto de venda de drogas; outras 6 pessoas foram executadas na Grande SP

ARTUR RODRIGUES, RICARDO VALOTA, O Estado de S.Paulo

02 de novembro de 2012 | 02h04

Em uma noite de guerra entre policiais militares e bandidos, pelo menos oito pessoas morreram na Grande São Paulo. Duas das vítimas são policiais militares, mortos na Favela de Heliópolis, na zona sul da capital. Outras quatro morreram em confronto com PMs.

O cabo Haiton Borges dos Santos Evangelista, de 33 anos, da Força Tática, e o soldado Antonio Paulo da Rocha, de 35, do patrulhamento com motocicletas (Rocam), foram mortos a tiros na Rua Paraíba.

A polícia investiga o motivo de os dois PMs estarem em uma rua conhecida como ponto de venda de drogas, em uma favela onde o crime organizado é extremamente atuante, às 23h30 de anteontem, em meio à onda de ataques a policiais.

A PM encontrou as vítimas caídas, ao lado de uma moto sem placas, mas que pertencia a um terceiro policial. Os PMs foram encaminhados ao Hospital Heliópolis, mas não resistiram.

Moradores disseram à reportagem que ambos já haviam sido vistos à paisana na região. "Agora, eles viraram santos, né?", questionou um morador sobre as vítimas. Os dois PMs atuavam no 46.º Batalhão, responsável pela área de Heliópolis. Na tarde de ontem, policiais da Força Tática foram até a cena do crime e abordaram suspeitos. O delegado Gilmar Contrera, do 95.º DP, diz que pistas podem ser enviadas pelo site que criou para obter informações da comunidade (voceseg.blogspot.com.br).

Confronto. Quatro suspeitos foram mortos em supostos confrontos com a PM. Por volta das 21h30 de anteontem, dois homens que ocupavam um veículo da JAC Motors roubado foram abordados por PMs na Avenida Marginal do Ribeirão, em Carapicuíba, e se negaram a parar o carro. A perseguição se estendeu até a Avenida Benedito Alves Turíbio, perto da Rua Santiago Rodilha, no Jardim Veloso, em Osasco, cidade vizinha, onde o veículo perseguido bateu contra outros carros que passavam na mesma avenida.

De acordo com a PM, os dois suspeitos desceram do automóvel roubado e atiraram contra os policiais, que revidaram. Um dos suspeitos fugiu, o outro, ainda não identificado, foi baleado e morreu no Pronto-Socorro do Jardim Santo Antonio.

Na mesma noite, três homens suspeitos de assaltar uma sorveteria foram abordados em um Fiat Doblò cinza e perseguidos por PMs em Embu das Artes. Segundo a PM, o confronto ocorreu na Avenida Augusto Almeida Batista, no Jardim São Marcos, onde dois dos criminosos fugiram. O terceiro foi baleado e morreu no pronto-socorro.

Já por volta das 4 horas de ontem, um grupo tentou arrombar os caixas eletrônicos dentro da agência do Santander na Praça Aleixo Monteiro Mafra, conhecida como "Praça do Forró", em São Miguel Paulista, na zona leste. Os bandidos haviam feito um buraco na parede do banco para ter acesso às máquinas. A Polícia Militar foi chamada ao local por testemunhas. Em uma suposta troca de tiros, dois dos bandidos foram baleados e morreram. Os demais fugiram.

Execuções. Às 22 horas, Alex Marques do Vale, de 30 anos, foi assassinado no Parque São Paulo, região do Grajaú, na zona sul. A vítima ainda foi levada por testemunhas para um hospital, mas morreu. Também na zona sul, o vigilante noturno José Ferreira de Almeida, de 48 anos, foi morto com vários tiros no bairro do Campo Grande. A vítima foi achada baleada nas costas dentro de um Fusca azul. Os atiradores seriam dois homens vistos em uma moto amarela.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.