Noite teve mais 8 mortes - 3 de moradores de rua

Primeiro homicídio foi no Jardim Arpoador, onde já houve toque de recolher; 2 dos sem-teto podem ter morrido a pauladas

RICARDO VALOTA, O Estado de S.Paulo

01 de novembro de 2012 | 02h03

A capital paulista e a Grande São Paulo tiveram mais uma madrugada violenta, com pelo menos oito mortos a tiros entre anteontem e ontem. Três das vítimas moravam na rua.

O primeiro homicídio aconteceu às 19h30 no Jardim Arpoador, na zona oeste. O comerciante Roberto Manoel da Silva, de 37 anos, dono de um bar, foi assassinado por ocupantes de um carro preto. Segundo a polícia, na noite de segunda-feira criminosos teriam decretado toque de recolher na região, mas não se sabe se a morte do comerciante está relacionada à desobediência à ordem para fechar as portas.

Os demais assassinatos aconteceram no Campo Limpo e no Grajaú, ambos na zona sul, no Jaçanã, na zona norte, e na Vila Japão, em Itaquaquecetuba.

Moradores de rua. Também foram assassinados três moradores de rua, todos na região central, entre 23h de anteontem e 1h de ontem. O primeiro caso aconteceu na Avenida do Estado - um homem não identificado teria sido linchado. Perto dali, na Rua Carlos de Souza Nazaré, cerca de duas horas depois, outro homem também não identificado foi morto por um desconhecido que chegou em uma bicicleta e disparou 11 vezes.

Na Rua Marques de Oliveira, sob o Viaduto Bresser, a menos de 3 quilômetros dali, outro morador teria sido assassinado a pauladas por volta da meia-noite, segundo a polícia. Não se sabe quantos foram os agressores. Os casos foram registrados no 8.º Distrito Policial (Brás).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.