No Rio, medida para adultos não tem data para sair

Desde 31 de março de 2011, a prefeitura do Rio promove operações para acolher usuários de crack. Com base em resolução municipal, menores de 18 anos são levados compulsoriamente a unidades de tratamento. Em outubro, o prefeito Eduardo Paes (PMDB) anunciou para "breve" que usuários adultos também seriam internados. Até agora, porém, a medida não foi adotada.

O Estado de S.Paulo

04 Janeiro 2013 | 02h04

À época do anúncio, Paes planejava criar 600 vagas. "Está muito claro que os dependentes dessa droga não conseguem tomar decisões", disse.

De acordo com a prefeitura e a Secretaria de Saúde e Defesa Civil, a internação compulsória de adultos ainda está em estudo - sem data para implantação.

Nas 146 operações feitas desde 2011, houve 6.228 acolhimentos - 5.423 adultos e 785 crianças ou adolescentes. No entanto, como adultos não são obrigados a permanecer nas unidades, apenas cerca de 10% deles aceitam tratamento. Hoje, 123 menores estão abrigados compulsoriamente. / FÁBIO GRELLET

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.