No Rio, desfile ganhou maior estrutura

Atualmente, a prefeitura do Rio tem ampla estrutura para amenizar problemas causados pelos desfiles dos blocos pelas ruas da cidade. Para receber os 6 milhões de foliões (700 mil a mais do que em 2012, na estimativa da prefeitura) que vão acompanhar os 492 blocos em exibições por toda a cidade, são oferecidos 17.200 banheiros químicos.

FÁBIO GRELLET / RIO, O Estado de S.Paulo

05 de fevereiro de 2013 | 02h07

Cinco mil ambulantes foram cadastrados para comercializar bebidas durante os desfiles. Para figurar como a única cerveja autorizada a ser vendida nas ruas, a Antarctica patrocina a festa. A região que concentra o maior número de desfiles é a zona sul (148), seguida por zona norte (91), centro (87), Tijuca (57), Barra da Tijuca (47), zona oeste (37) e Ilha do Governador (25).

Para reduzir os transtornos causados pelas interdições das ruas, 985 pessoas (entre controladores de trânsito, guardas municipais e agentes da Companhia de Engenharia de Tráfego) estarão nas ruas. O efetivo é 20% maior do que em 2012. Ambulâncias com UTI móvel serão utilizadas em 80 desfiles.

Desde que detectou a revitalização do carnaval de rua, em 2005, a prefeitura tenta organizar os desfiles. Uma das principais medidas foi a obrigatoriedade de cadastramento dos blocos interessados em desfilar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.