No que deu...

Prefeitura manteve contrato

/ BRUNO RIBEIRO, O Estado de S.Paulo

13 Setembro 2012 | 03h04

Ainda nem sequer foi apresentado à Justiça o inquérito aberto pelo Ministério Público Estadual (MPE) para investigar uma possível fraude na licitação da Prefeitura de São Paulo para manutenção, ampliação e remodelação dos serviços de iluminação pública.

Há um ano, o Estado antecipava o resultado do processo, assim como a classificação das empresas participantes. A licitação já vinha sendo questionada por companhias do setor por suspeitas de direcionamento: as regras do edital de licitação favoreceriam o Consórcio SP Luz, que venceu a disputa.

Após a publicação da reportagem, em 9 de setembro de 2011, o promotor público Saad Mazloum, à época secretário executivo da Promotoria do Patrimônio Público e Social da capital, abriu um inquérito civil para apurar as suspeitas de favorecimento e encarregou a Promotoria de investigar o caso. Procurado ontem, o MPE não deu detalhes sobre o andamento da investigação, mas o inquérito ainda não se transformou em uma ação civil pública.

A Prefeitura, por outro lado, manteve o contrato mesmo com a antecipação dos resultados. De lá para cá, o consórcio já recebeu R$ 55,4 milhões pelos serviços prestados, de acordo com consulta feita ontem ao serviço de transparência da administração municipal. O contrato foi de R$ 433,8 milhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.