No que deu...

Técnicos vão visitar SP no mês que vem

O Estado de S.Paulo

28 de junho de 2012 | 03h04

Há pouco mais de um ano, um grupo de ambientalistas tentou convencer o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) a não financiar a construção do Trecho Norte do Rodoanel Mario Covas. Eles queriam que a instituição reavaliasse o estudo de impactos ambientais do projeto - mas o financiamento foi assinado e os recursos já estão disponíveis para serem usados.

Os ambientalistas enviaram ao banco um "contra-Rima", estudo apontando as eventuais falhas do Relatório de Impactos Ambientais (Rima) feito pelo governo do Estado para permitir o licenciamento da obra.

A medida pode trazer resultados. Segundo o ambientalista Carlos Bocuhy, um dos ativistas responsáveis pelas ações contrárias à obra, uma auditoria independente do BID está acompanhando o projeto e técnicos devem visitar o Brasil no mês que vem - o que não inviabiliza a obra.

O temor de quem não quer a construção do Trecho Norte é de que a obra possa trazer prejuízos à Serra da Cantareira, uma das maiores reservas verdes da Região Metropolitana. O traçado da obra passa justamente pela serra. Mas o argumento do governo é o de que a maior parte da rodovia será em túneis, sem atingir a mata.

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) assinou o empréstimo com o BID na semana passada, no valor de R$ 2 bilhões. / BRUNO RIBEIRO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.