No que deu...

MP ainda investiga deslizamento

O Estado de S.Paulo

24 de maio de 2012 | 03h04

Ninguém ainda foi responsabilizado pelo deslizamento de terra que provocou, em 7 de julho, na Favela da Mata Virgem, zona sul de São Paulo, a morte de duas pessoas, Tamires Ferreira, de 18 anos, que estava grávida, e Yoham de Jesus, de 3. O Ministério Público Estadual (MPE) ainda investiga o caso.

Em setembro, a Prefeitura arquivou a apuração do acidente, afirmando que não existia "responsabilidade funcional", o que isentaria qualquer servidor público de culpa pelo acidente. Havia, porém, uma obra da Secretaria Municipal de Habitação (Sehab) em curso no local, o que poderia ter contribuído para o deslizamento. Uma das hipóteses levantadas pela própria Sehab é de que existiam ligações clandestinas de esgoto, que teriam colaborado para o acidente.

O promotor de Habitação e Urbanismo responsável pela condução das investigações, Maurício Ribeiro Lopes, afirmou que em breve deverá sair uma conclusão sobre o caso. "É uma questão técnica, mera avaliação de laudos. Falta concluir essa análise. Aparentemente, parece que foi realmente um acidente, sem responsabilidade da empresa que fez a obra. Espero uma avaliação", disse Lopes.

Desde julho de 2011, pelo menos 366 famílias foram removidas do local - considerado de risco muito alto desde 2003. / WILLIAM CARDOSO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.