Reginaldo Pupo/AE
Reginaldo Pupo/AE

No litoral norte de SP, hotéis de luxo já têm suítes de até 200 m²

Além de conforto, novos empreendimentos em São Sebastião e Ilhabela oferecem de heliponto a carta com 40 vinhos

Valéria França, O Estado de S. Paulo

31 Dezembro 2011 | 22h30

SÃO PAULO - O turista que está acostumado a passar férias em pousadas descoladas do litoral norte paulista vai ter uma surpresa nesta temporada. Nas praias mais badaladas de São Sebastião e Ilhabela, aumentaram as opções de hospedagem, onde o luxo é o diferencial. Heliponto, suítes de até 200 m² e carta de vinhos com mais de 40 rótulos são alguns dos itens que esses novos negócios oferecem. As instalações e o serviço, em muitos casos, não deixam nada a dever para os hotéis de primeira linha em São Paulo.

 

Inaugurado em dezembro, o NauRoyal, em Camburi, é o primeiro hotel butique de São Sebastião. Com linhas arquitetônicas que privilegiam a visão da paisagem - fica de frente para o canto direito da praia - , o prédio foi construído com conceitos de sustentabilidade. E, antes mesmo de o hotel abrir as portas, o projeto assinado por Sergio Coelho, do escritório GCP Arquitetos, já havia ganhado prêmios do setor. Já o design de interior é da arquiteta Débora Aguiar, que costuma expor na Casa Cor.

 

Em um terreno de 950 m² , o projeto tem 15 suítes com terraços que funcionam como brises, protegendo o interior dos quartos do aquecimento da luz solar. Dentro, o conforto é grande. No lugar do banheiro, o que se vê é uma sala de banho muito parecida à de um spa, além de closet e cama king size.

 

No segundo andar - as suítes maiores , de 72 m², são dúplex - , há um deck equipado com TV de LED, Blu-Ray e toda a tecnologia atual necessária, além de um ofurô. "Já tenho um hotel na região. Abri o Nau porque perdia hóspedes que procuravam mais do que uma pousada descolada", conta o proprietário, Roberto Ibrahim, de 41 anos.

 

Pouco mais ao norte, em Ilhabela, já são vários os endereços para os turistas que fazem questão de mimos, conforto e cardápios que incluam entre as opções lagosta e champanhe francês. Anteontem, abriu as portas próximo da Praia do Veloso o Siquini Beach Parador, com heliponto próprio e atracadouro para barcos. "Posso até buscar o hóspede com helicóptero", diz o proprietário, Claudemir Siquini, de 50 anos.

 

Sossego. Ali vai funcionar o Spa Sete Voltas, de Myrian Abicair, e dois restaurantes. O hotel foi concebido para casais - não aceita crianças. "Aqui é ideal para quem procura sossego, mas ao mesmo tempo não pretende ficar isolado do mundo", diz Patrícia Teixeira, de 38 anos, que foi para lá com uma amiga.

 

"O trânsito em Ilhabela nesta época é muito ruim para circular de carro. Passei o dia sem sair do hotel." À noite, segundo Patrícia, o ambiente é tranquilo, mas durante o dia tem um "agito bom". Um DJ garante a animação da piscina. "Hoje (anteontem) teve até degustação de champanhe francês. " Patrícia se hospedou em um quarto de 160 m². O maior do hotel tem 200 m². "É um apartamento em que você pode receber amigos e dar uma pequena festa", resume ela.

 

O hotel tem dois restaurantes, um de comida japonesa. Ambos contam com carta de vinhos com 40 rótulos, entre eles o italiano Brunello di Montalcino. Até a inauguração do Siquini, o DPNY Beach Hotel reinava quase sozinho no circuito de luxo de Ilhabela como hotel e clube de praia. Era um dos poucos com serviço de táxi-lancha, que pega o hóspede do outro lado do canal. Há cerca de um ano, ele vem dividindo parte do público com o Sea Club Ilhabela, clube de praia que virou point da galera jovem da Ilha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.